Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.145,40
    -372,95 (-0,88%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

O maior meteorito marciano que já caiu na Terra está em exposição nos EUA

·2 minuto de leitura

Fragmentos de asteroides e cometas atingem nosso planeta constantemente — e, às vezes, eles resistem à passagem na atmosfera, chegando ao solo como meteoritos. Foi exatamente isso que aconteceu com um fragmento vindo de Marte, considerado o maior originado no Planeta Vermelho. Agora, essa rocha está exposta no museu Maine Mineral and Gem Museum em Bethel, nos Estados Unidos, junto de outros 6.000 objetos espaciais.

O meteorito, chamado “Taoudenni 002”, pesa 14,5 kg e mede 25 cm. Ele foi encontrado por um caçador de meteoritos no deserto de Mali e, depois, foi adquirido por Darryl Pitt, revendedor líder de meteoritos no mundo, para o Maine Mineral and Gem Museum. Não houve observadores que testemunharam a queda do objeto, mas Carl Agee, diretor do Instituto de Meteorítica na Universidade do Novo México, acredita que o evento foi recente. “Nos últimos 100 anos, talvez, devido ao estado de conservação”, estima ele.

Após adquirir o objeto, Pitt enviou uma pequena amostra da rocha a Agee para confirmar sua origem. Meteoritos marcianos têm assinaturas químicas específicas, e os compostos presentes no Taoudenni 002 correspondem aos minerais marcianos que conhecemos. Segundo o diretor, trata-se de um "shergogito", considerado o principal tipo de meteorito marciano. “Ele contém os minerais olivina, piroxênio e feldspato, transformado por choque”, explicou ele. Esses compostos provavelmente são o resultado do impacto que ejetou o fragmento ao espaço.

Para Agee, a rocha provavelmente se formou durante um episódio de erupção vulcânica em Marte, ocorrido há mais de 100 milhões de anos. O objeto provavelmente veio para cá após algum impacto intenso de um cometa ou asteroide no Planeta Vermelho, o que deve ter liberado rochas que começaram a vagar pelo espaço, até que entraram em uma órbita em torno do Sol e, eventualmente, cruzaram a da Terra.

O diretor considera que este é o maior meteorito marciano em nosso planeta. Hoje, há cerca de 300 pedaços de rochas vindas de Marte na Terra, mas pode haver outras até mesmo maiores, só que ainda escondidas — elas podem estar “enterradas sob uma duna no Saara, nas profundezas do gelo da Antártica, ou talvez, no fundo do oceano”, propôs ele.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos