Mercado abrirá em 21 mins
  • BOVESPA

    110.580,79
    +234,97 (+0,21%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.304,04
    -72,85 (-0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    111,05
    +1,28 (+1,17%)
     
  • OURO

    1.853,40
    -12,00 (-0,64%)
     
  • BTC-USD

    29.490,29
    +288,00 (+0,99%)
     
  • CMC Crypto 200

    655,29
    -0,53 (-0,08%)
     
  • S&P500

    3.941,48
    -32,27 (-0,81%)
     
  • DOW JONES

    31.928,62
    +48,38 (+0,15%)
     
  • FTSE

    7.504,96
    +20,61 (+0,28%)
     
  • HANG SENG

    20.171,27
    +59,17 (+0,29%)
     
  • NIKKEI

    26.677,80
    -70,34 (-0,26%)
     
  • NASDAQ

    11.701,00
    -70,00 (-0,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1667
    -0,0055 (-0,11%)
     

O iPhone XR ainda vale a pena em 2022?

·7 min de leitura

Lançado em 2018, o iPhone XR chegou ao mercado para ser o modelo “custo-benefício” da Apple. Com design próximo do trabalhado pela empresa nos modelos iPhone 7 e iPhone 8, o celular era a menor versão anunciada naquele período a contar com o notch.

Com preço mais “acessível”, o hardware foi um dos elementos ajustados pela gigante de Cupertino para garantir o equilíbrio no valor e alcançar um público que ainda estava de fora do ecossistema da Maçã.

Mesmo assim, o aparelho era capaz de entregar alguns diferenciais importantes para quem estava em busca de um equipamento focado em experiência de uso.

O sistema iOS com funções muito utilizadas pelo público acostumado com a marca e as otimizações para incrementar a parte fotográfica fizeram o iPhone XR se tornar um sucesso rapidamente.

Após 4 anos concorrendo na categoria de custo-benefício com diversas opções, o aparelho da Apple começa a se mostrar mais próximo de ser “extinto” desta categoria, já que a própria fabricante possui sucessores à altura dele.

Mas, será que ainda vale a pena comprar o iPhone XR em 2022? Confira a resposta nesse texto!

Design e Tela

Visualmente, o iPhone XR não é tão grande quanto os modelos comercializados atualmente, mas isso não quer dizer que ele é leve. Afinal um celular mais largo e com quase 200 gramas não é tão fácil de segurar no uso contínuo sem sentir um incômodo.

Tanto a parte traseira quanto a tela são em vidro Gorilla Glass, e as laterais em alumínio. No topo — acima do entalhe — e abaixo — próximo da conexão lightning —, estão os alto-falantes que reproduzem a sonoridade em estéreo.

O notch herdado do iPhone X dá um recorte exagerado na tela no aparelho “acessível”. Entretanto, o fato de esse entalhe chamativo abrigar os sensores responsáveis pelo uso do Face ID — biometria com leitura facial em 3D — torna a “franja” aceitável para quem tem o iPhone XR com o foco em segurança.

A falta da entrada 3,5 mm para plugue de fones de ouvido já não era uma novidade na Apple. Afinal, desde 2016 que a empresa não disponibiliza essa forma de conexão em seus iPhones, e o acessório que era disponibilizado na embalagem já vinha compatível com a entrada lightning.

Entretanto, em 2017 a empresa ainda entregava na caixa do produto um adaptador para permitir o uso de fones com o plugue normal.

Qualidade do display

A tela do iPhone XR é IPS, mas possui a tecnologia Liquid Retina HD para complementar a experiência visual. Apesar de ter o notch protuberante no topo, o aparelho disponibiliza 6,1 polegadas de display.

Já a resolução é 828 x 1792 pixels, e o brilho máximo alcança até 625 nits. Mesmo que o visor seja LCD, a Apple utilizou o True Tone para aprimorar a visibilidade de conteúdo no aparelho com a exibição de cores mais próxima do real.

Na época em que o XR foi lançado, a empresa ainda não disponibilizava ao público tela com tecnologia ProMotion que atualiza a frequência do display em até 120 Hz. Por isso, a navegabilidade não tem a mesma suavidade encontrada nos modelos iPhone 13 Pro e 13 Pro Max, que são mais recentes.

Um diferencial do iPhone XR para a época em que foi anunciado era a resistência a arranhões e gordura. Isso significa que leves contatos com materiais pontiagudos não afetariam a estrutura do visor. Porém, é preciso ter atenção para garantir que danos permanentes não afetarão a estrutura do aparelho.

Configurações e desempenho

Para “reger” a sua performance, o iPhone XR possui o chipset Apple A12 Bionic. Essa CPU é hexa-core, e isso significa que são 6 núcleos, que totalizam 2,49 GHz, trabalhando para manter o desempenho do aparelho.

Além disso, o aparelho possui 4 núcleos de GPU com o intuito de facilitar a execução de atividades mais pesadas. Por isso, a jogabilidade nesse smartphone tem grandes vantagens em relação a alguns modelos que possuem o sistema Android.

A Apple não é conhecida por lançar celulares com dezenas de gigas de memória. Por isso, não é uma grande surpresa que há quatro anos o iPhone XR tenha chegado ao mercado mobile com 3 GB de RAM.

Mesmo que pareça pouco para os padrões atuais, as otimizações do hardware e software da empresa garantiam que essa configuração seria boa o suficiente para rodar apps em segundo plano sem ocasionar travamentos no celular.

No que diz respeito ao armazenamento, o iPhone XR possui três opções de espaço: 64 GB, 128 GB e 256 GB. Pelo fato de a memória ROM com menos capacidade ser vista com melhor preço, muitos usuários precisam complementar a falta de espaço pagando pelo iCloud para ter mais gigabytes disponíveis na nuvem.

Bateria e sistema

O iPhone XR tem bateria de 2.942 mAh, e para a época essa capacidade fazia com que o celular entregasse uma ótima autonomia, sendo um dos modelos com configurações de topo de linha com melhor durabilidade energética.

De acordo com as estimativas da Apple, a bateria do iPhone XR é capaz de entregar até 16 horas em reprodução constante de vídeos. No uso versátil, obviamente, essa autonomia é menor, mas o aparelho continuava eficaz para aquele momento.

O iPhone XR está atualmente no iOS 15.2 (Imagem: Ivo/Canaltech)
O iPhone XR está atualmente no iOS 15.2 (Imagem: Ivo/Canaltech)

Na época em que esse modelo foi lançado, a empresa ainda disponibilizava o carregador na embalagem. Além disso, o aparelho é compatível com o carregamento rápido de 15 W, que dá um tempo estimado de 30 minutos para que a bateria alcance 50%.

Já o sistema era o iOS 12 quando ele foi anunciado, mas ao longo dos anos o iPhone XR recebeu diversas atualizações e já se encontra no iOS 15.2.

Mesmo com as limitações de desempenho, o software ainda roda bem no aparelho, e isso ajuda a mostrar o quanto a Apple se dedica em explorar a qualidade dos modelos a longo prazo com diferentes gerações da interface.

Conjunto fotográfico

O iPhone XR é uma fusão do iPhone 8 com o 8 Plus. Isso porque o aspecto visual do aparelho é semelhante ao antecessor menor, mas as câmeras têm um funcionamento próximo do visto no modelo maior.

Apesar de ter apenas um sensor na traseira, que é a lente grande-angular de 12 MP com abertura f/1.8, o celular faz muitos ajustes fotográficos via software para complementar a experiência de uso em capturas.

O iPhone XR tem apenas um sensor na parte traseira (Imagem: Ivo/Canaltech)
O iPhone XR tem apenas um sensor na parte traseira (Imagem: Ivo/Canaltech)

Dentre as configurações, a que mais chama a atenção é o modo retrato, pois com uma lente o XR consegue entregar o fundo desfocado com um contorno tão eficaz quanto o visto em smartphones da marca que tem duas câmeras.

Já para selfies, o iPhone XR disponibiliza um sensor de 7 MP com abertura f/2.2. Mesmo que a compressão nas fotos para redes sociais seja menor do que vemos em aparelhos com Android, esse dispositivo tem recursos limitados para gravações de vídeos, e a resolução máxima para filmagens é Full HD (1080p).

iPhone XR: ainda vale a pena comprar o celular?

O iPhone XR ainda possui muita procura do público, e não é por acaso. Com base em todas as informações que já relatamos, ver esse dispositivo custo-benefício na lista de desejo de muitas pessoas é a prova do quanto a Apple acertou no modelo.

Porém, mesmo com as atualizações constantes graças a longevidade que a empresa dá ao software dos produtos, o XR não é a melhor alternativa de iPhone “básico” para comprar em 2022.

Após a linha iPhone 13 ser oficializada, o iPhone XR passou por diversos momentos de alteração no preço. O modelo com 64 GB de armazenamento já foi visto em algumas varejistas por R$ 2.800, mas atualmente a versão com essa configuração está estabelecida em R$ 3.400.

O <a class="link " href="https://canaltech.com.br/produto/apple/iphone-11/" rel="nofollow noopener" target="_blank" data-ylk="slk:iPhone 11">iPhone 11</a> é uma melhor opção do que o iPhone XR (Imagem: Ivo/Canaltech)
O iPhone 11 é uma melhor opção do que o iPhone XR (Imagem: Ivo/Canaltech)

Em contrapartida, o iPhone 11 oferece um hardware melhor, mais bateria, outra opção de sensor para incrementar a versatilidade fotográfica, e a longevidade nos updates também é um grande ponto positivo do produto.

Mas o preço para ter a versão um pouco mais nova ainda é alto fora de momentos promocionais, e a diferença no valor pode ultrapassar R$ 500, pois o modelo 11 pode ser visto a uma média de R$ 3.900.

Todavia, o gasto complementar traz como vantagem recursos adicionais para fotografia, filmagem, desempenho e autonomia. Sendo assim, a escolha mais lógica para quem está de olho no iPhone XR é “pular” direto para o iPhone 11 — mesmo que tenha que guardar mais dinheiro — e garantir que estará com um aparelho mais ajustado para o uso a longo prazo.

E aí, gostou do iPhone 11? Então, aproveite que separamos uma oferta especial:

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos