Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.556,76
    -557,40 (-0,51%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.997,90
    +189,34 (+0,42%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,47
    +1,76 (+2,29%)
     
  • OURO

    1.635,50
    +2,10 (+0,13%)
     
  • BTC-USD

    19.070,15
    -87,94 (-0,46%)
     
  • CMC Crypto 200

    437,95
    -21,19 (-4,62%)
     
  • S&P500

    3.647,29
    -7,75 (-0,21%)
     
  • DOW JONES

    29.134,99
    -125,82 (-0,43%)
     
  • FTSE

    6.984,59
    -36,36 (-0,52%)
     
  • HANG SENG

    17.860,31
    +5,17 (+0,03%)
     
  • NIKKEI

    26.571,87
    +140,32 (+0,53%)
     
  • NASDAQ

    11.316,50
    +0,25 (+0,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1591
    -0,0203 (-0,39%)
     

iPhone 14 dos EUA funcionaria com e-Sim no Brasil?

Nos EUA o iPhone 14 só será vendido sem a bandeja para cartão SIM (Tayfun Coskun/Anadolu Agency via Getty Images)
Nos EUA o iPhone 14 só será vendido sem a bandeja para cartão SIM (Tayfun Coskun/Anadolu Agency via Getty Images)
  • e-SIM é pouco conhecido no Brasil, mas tecnologia já existe por aqui pelas grandes operadoras;

  • Empresa afirmou que modelo brasileiro virá com entrada para chip físico;

  • Relatos, no entanto, demonstram demora e desconhecimento por parte dos atendentes.

O anúncio do iPhone 14 veio com suas surpresas, como o fato do aparelho poder identificar se o AirPods é falsificado. Outras, no entanto, foram previstas por analistas do setor, como o fato do modelo só vir com entrada para e-SIM.

Apesar de não ser uma nova tecnologia, o e-SIM não é muito difundido ao redor do mundo, com o Brasil incluso na lista de países que não falam muito do método do chip virtual.

Por aqui, no entanto, a empresa afirmou que irá vender modelos de iPhone com entrada do cartão SIM. Pelo visto a Apple está bem ciente do quão desconhecida o e-SIM é no Brasil.

Por outro lado, muitos consumidores preferem comprar o telefone no exterior como forma de economizar. Uma vez que o aparelho chega ao país ele deve pagar impostos de importação e custos de frete, que acabam tornando o produto mais caro do que a conversão do preço em dólar.

Mas esse aparelho americano funcionaria por aqui? A Apple preferiu não comentar, mas é possível dizer que se o aparelho não tiver bloqueios por parte de qual operadora ou região poderá funcionar, nada impediria ele de funcionar corretamente no Brasil.

Várias operadoras, como as três maiores – Claro, Vivo e TIM –, já oferecem o serviço de chip virtual, logo a falta da bandeja de inserção do cartão SIM não faria diferença. No entanto, o serviço é tão pouco difundido que muitos atendentes dessas empresas nem sabem que ele existe.

Relatos da falta de orientação correta por parte das lojas e seus atendentes podem ser encontrados pelas redes sociais. Além disso, daqueles que conseguem ativar o e-SIM, há descrições de demoras para implementação do serviço e indisponibilidade para todos os planos da operadora. Fora isso, ao que tudo indica nada impede um iPhone 14 americano de operar no Brasil.