Mercado abrirá em 8 h 40 min
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,69 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,11 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    67,73
    +1,47 (+2,22%)
     
  • OURO

    1.785,90
    +2,00 (+0,11%)
     
  • BTC-USD

    49.022,87
    -141,00 (-0,29%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.260,81
    -180,95 (-12,55%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,72 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.476,87
    -289,82 (-1,22%)
     
  • NIKKEI

    27.866,81
    -162,76 (-0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.741,00
    +23,25 (+0,15%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3808
    -0,0145 (-0,23%)
     

O GLOBO debate autocuidado contra o câncer de mama em live nesta quinta-feira

·3 min de leitura

SÃO PAULO — O jornal O GLOBO realiza nesta quinta, às 15h, a live “A importância do autocuidado”, que vai debater o protagonismo da paciente que trata o câncer de mama. Este é o segundo encontro sobre o tema (o último deles acontecerá em novembro), todos com o patrocínio da Roche.

Participam do evento a oncologista do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo Juliana Pimenta, o presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia, Vilmar Marques, e a atriz e fundadora da Rede Felicidade, Bruna Lombardi. A mediação é da jornalista do GLOBO Constança Tatsch.

Na live, os convidados vão falar sobre o valor de ter pacientes ativas, que sejam protagonistas do próprio tratamento numa perspectiva complementar à dos profissionais de saúde. Além disso, vai ser abordada a importância de compartilhar as experiências para mobilizar a sociedade, ajudar outras mulheres com câncer de mama e sua rede de apoio, tornando o tema relevante para todos.

O avanço da ciência e o desenvolvimento das novas tecnologias em saúde não vão ficar de fora. Há novas perspectivas de tratamento, segundo a oncologista Juliana Pimenta:

— Temos três subtipos de câncer de mama, tumores diferentes, com características, prognósticos e terapias diferentes, mas o tratamento está evoluindo contra todos, com resultados cada vez melhores, tanto para a doença inicial quanto para a doença avançada, metastática. O tratamento oncológico avança de forma rápida, temos cada vez mais novidades, não só contra o câncer de mama, mas também para outros tumores, com resultados cada vez melhores. Estamos avançando muito, mas o diagnóstico precoce, com a realização de mamografia de check up, ainda é a melhor forma de se atingir a cura — afirma.

A oncologista também orienta as mulheres sobre como se cuidar.

— Além da realização da mamografia para proporcionar o diagnóstico precoce, outras medidas podem ser realizadas para tentar tanto prevenir quanto evitar a recorrência, como atividade física regular, alimentação saudável, evitando condimentados, gordura e excesso de açúcar além de manter um peso adequado. Isso tudo são medidas que ajudam na redução de risco, além de ter benefícios para outras doenças e outros cânceres.

O encontro é transmitido pelo YouTube e pelo Facebook do jornal O GLOBO e o Instagram da Celina.

Em novembro será realizada a live “Câncer de mama e autocuidado: modo de fazer”.

Primeira live

Em setembro, foi realizada a live “Quem cuida da Mulher Maravilha”, que abordou a importância da rede de apoio para as mulheres que enfrentam o câncer de mama. O encontro está disponível no Youtube e Facebook do GLOBO.

Participaram do encontro a psicóloga Marcia Parga, a ginecologista, obstetra e mastologista Marianne Pinotti, diretora da Clínica Pinotti e membro do grupo de cirurgia oncológica e mamária da Beneficência Portuguesa, a atriz Renata Castro Barbosa e a influenciadora, apresentadora, escritora e empreendedora Rafa Brites.

— Se o câncer é um divisor de águas, a rede de apoio é outro. As pessoas não precisam ser psicólogas ou especialistas. Basta dizer: “Eu não sei o que fazer, mas vou passar por isso com você”. Essa frase faz o outro sentir que tem um companheiro, entende que não precisa passar por isso em isolamento. — disse Marcia Parga, que pede: — Cheguem perto, mesmo que não saibam como.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos