Mercado fechará em 4 h 25 min

O Gabinete de Curiosidades | Referências e easter eggs da nova série de Del Toro

Desde que estreou como uma das séries mais aguardadas da Netflix em outubro, O Gabine de Curiosidade de Guillermo del Toro tem dado o que falar. A produção foi lançada com dois episódios, Lote 36 e Ratos de Cemitério, e já conquistou 89% de aprovação da crítica especializada no site Rotten Tomatoes.

Os demais episódios foram sendo lançados pouco a pouco; dois por dia até o dia 28 de outubro. Vale lembrar que cada capítulo é dirigido por um profissional distinto e que as tramas também são baseadas em obras de diversos autores, como o próprio del Toro, além de Aaron Stewart-Ahn e HP Lovecraft.

Isso contribuiu para que cada história tivesse diferentes referências e inspirações e, claro, para que a série apresentasse alguns easter eggs. Pensando nisso, chegou a hora de desvendar de onde vieram as ideias para que o cineasta mexicano criasse essa antologia do terror tão bem recebida pelo público.

6. Objetos na introdução

Quem já assistiu pelo menos os primeiros minutos de algum episódio de O Gabinete de Curiosidades de Guillermo del Toro viu que logo na introdução o cineasta aparece narrando uma espécie de prefácio da história que será apresentada. Em seguida, ele abre o gabinete e retira de lá de dentro um objeto avulso: pode ser uma chave comum, um colar sob medida ou até mesmo um controle de televisão.

Cada objeto representa um easter egg da próxima história. (Imagem:Reprodução/Netflix)
Cada objeto representa um easter egg da próxima história. (Imagem:Reprodução/Netflix)

Se o espectador prestar atenção, verá que o objeto se relaciona com a trama e é uma dica do tema do episódio. Esse é o principal easter egg da série e uma forma divertida de apresentar as histórias.

5. Referência a Hitchcock

Ainda falando sobre a introdução, o fato de del Toro encabeçar cada capítulo não é uma novidade no audiovisual. Antes dele, outros criadores já usaram tal estilo, como Rod Serling na antológica The Twilight Zone, de 1959, e Alfred Hitchcock na também antológica Alfred Hitchcock Presents, uma série de televisão estadunidense exibida entre 1955 e 1962.

Desse modo, fica claro que o cineasta mexicano se inspirou nos seus colegas de profissão e quis seguir uma espécie de tradição das antologias. É o que confirmou também o cocriador da série, J. Miles Dale, para a imprensa dos Estados Unidos.

“Decidimos que Guillermo faria as introduções na grande tradição da antologia com Rod Serling e, um dos heróis do cinema de Guillermo, Alfred Hitchcock”

4. Inspiração para a série

Saindo da introdução e falando sobre os episódios em si, Guillermo contou que a inspiração para O Gabinete de Curiosidades veio do primeiro livro de terror que viu na vida, que era também uma antologia:

“Eu queria fazer uma antologia que reunisse alguns dos melhores contos que já li e algumas novas ideias que quero escrever"

3. Acidente com o depósito

Chegou a hora de desvendar as referências de alguns episódios. O primeiro, intitulado Lote 36, foi escrito pelo cineasta e mostra um homem supremacista branco que vive de comprar lotes de objetos de pessoas mortas para depois revendê-los.

Um dia, ele compra o lote 36 e, além de objetos de ouro, encontra uma coleção de livros valiosos e igualmente amaldiçoados. Movido pela ganância, no entanto, o homem acaba despertando um demônio secular.

Em Lote 36, o protagonista desperta um demônio secular. (Imagem:Reprodução/Netflix)
Em Lote 36, o protagonista desperta um demônio secular. (Imagem:Reprodução/Netflix)

Tal história macabra surgiu após del Toro sofrer "um acidente de armazenamento" e temer perder seus objetos de valor sentimental, como seus storyboards.

"Eles enviaram o correio para o endereço errado e venderam todo o meu armazenamento para alguém. Tinha todos os meus storyboards e demorou um pouco para recuperá-los.”

O contratempo virou história e foi adaptado para a tela por Regina Corrado (Deadwood).

2. As férias de del Toro

Outro capítulo que também foi inspirado na vivência do mexicano foi O Murmúrio (The Murmuring). Ele revelou que, em suas férias na Europa, viu um bando de pássaros e pensou: “E se os pássaros estivessem murmurando no céu? E se eles estivessem formando padrões porque carregam as almas dos mortos?”.

O último episódio, O Murmúrio, foi inspirado em um episódio acontecido nas férias de del Toro. (Imagem:Reprodução/Netflix)
O último episódio, O Murmúrio, foi inspirado em um episódio acontecido nas férias de del Toro. (Imagem:Reprodução/Netflix)

Com essas reflexões em mente surgiu o último episódio de O Gabinete de Curiosidades de Guillermo del Toro, que foi dirigidp por Jennifer Kent (The Babadook) e estrelada por Essie Davis, Andrew Lincoln e Hannah Galway.

1. Harry Potter 2.0

Quem sente falta da saga do bruxo mais famoso do mundo poderá matar um pouco da saudade no episódio Sonhos na Casa da Bruxa, estrelado por Rupert Grint, que viveu o atrapalhado Ron Weasley.

Além do ator, o capítulo traz várias referências a Harry Potter, como feiticieiras, uma adaga de madeira que lembra uma varinha mágica e um herói inteligente que usa um par de óculos redondos, lembrando o bruxo de Hogwarts.

O sexto episóodio da série faz referência à Hary Potter. (Imagem:Reprodução/Netflix)
O sexto episóodio da série faz referência à Hary Potter. (Imagem:Reprodução/Netflix)

Mas não é só isso. A irmã gêmea de Grint na série também é decidida, inteligente e corajosa, assim como Hermione era, e o rato mágico que atormenta o protagonista também lembra um trecho da saga quando Perebas se transforma em Pedro Pettigrew.

Ou seja, já deu pra ver que, embora as histórias não sejam iguais, tal episódio foi bastante inspirado na obra mais famosa de J.K Rowling. Vale lembrar que ele foi dirigido por Catherine Hardwicke, mesma diretora de Crepúsculo.

E se você ficou curioso para descobrir outros easter eggs e referências de O Gabinete de Curiosidades de Guillermo del Toro, já pode maratonar a série completa na Netflix.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: