Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.953,90
    +411,95 (+0,42%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.743,15
    +218,70 (+0,46%)
     
  • PETROLEO CRU

    108,46
    +2,70 (+2,55%)
     
  • OURO

    1.812,90
    +5,60 (+0,31%)
     
  • BTC-USD

    19.239,12
    -189,33 (-0,97%)
     
  • CMC Crypto 200

    420,84
    +0,70 (+0,17%)
     
  • S&P500

    3.825,33
    +39,95 (+1,06%)
     
  • DOW JONES

    31.097,26
    +321,83 (+1,05%)
     
  • FTSE

    7.168,65
    -0,63 (-0,01%)
     
  • HANG SENG

    21.859,79
    -137,10 (-0,62%)
     
  • NIKKEI

    25.935,62
    -457,42 (-1,73%)
     
  • NASDAQ

    11.610,50
    +81,00 (+0,70%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5587
    +0,0531 (+0,96%)
     

O futuro do pagamento será ‘invisível’, diz country manager da Visa

·1 min de leitura
  • Pandemia acelerou digitalização de pequenas empresa;

  • Futuro do pagamento estará atrelado à nuvem de dados;

  • Comando de voz terá cada vez mais importância nesse segmento.

Nuno Lopes comandou os negócios da empresa em outros países da América Latina e agora está no Brasil. Na pandemia, ele percebeu que a digitalização dos pequenos negócios se deu por uma questão de sobrevivência. Em entrevista ao Yahoo Finanças, ele também opinou de como acha que vai ser o futuro do pagamento

Além disso, o atual momento do mundo acelerou um processo dentro das corporações que já vinha ocorrendo, mas em outra velocidade.

“Mais consumidores e comércios entraram nesse mundo online por causa da pandemia”, falou. Segundo a FGV, quase 50% das empresas não faziam nenhuma venda online antes da pandemia.

Futuro do pagamento já pode ser visto em algumas operações hoje, como a tecnologia NFC
Futuro do pagamento já pode ser visto em algumas operações hoje, como a tecnologia NFC

As pequenas e médias empresas entraram de cabeça nesse novo momento da economia. 73% delas fizeram vendas online na pandemia. O WhatsApp, com 72% das operações, foi a ferramenta mais utilizada.

Nuno acredita que em 2022 os meios eletrônicos serão responsáveis por 60% dos pagamentos. Em 2016 esse número era de 30%.

Concorrência do Pix

Nuno Lopes não enxerga o Pix como apenas um concorrente. “Ninguém é só concorrente ou colaborador. É um caso fascinante”, aponta. O sistema de pagamentos instantâneo movimenta em média R$ 550 bilhões por mês. Mais de 16 milhões de brasileiros não têm conta em banco, segundo o Instituto Locomotiva.

Futuro dos pagamentos

Hoje, em muitos estabelecimentos, um relógio já pode ser usado como forma de pagamento usando a tecnologia NFC. Para Nuno Lopes, as informações dos clientes estão na nuvem e apenas por isso a tendência é que os pagamentos sejam cada vez mais “invisíveis” nos próximos anos. Os comandos por voz terão um peso maior nesse mercado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos