Mercado abrirá em 8 h 45 min
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.094,22 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,95 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,68
    -0,39 (-0,54%)
     
  • OURO

    1.807,40
    +5,60 (+0,31%)
     
  • BTC-USD

    38.305,82
    +4.104,07 (+12,00%)
     
  • CMC Crypto 200

    915,49
    +121,75 (+15,34%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,15 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    26.527,06
    -794,92 (-2,91%)
     
  • NIKKEI

    27.847,22
    +299,22 (+1,09%)
     
  • NASDAQ

    15.086,50
    -11,50 (-0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1233
    +0,0017 (+0,03%)
     

O chiclete está de volta sem uso obrigatório de máscara

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O chiclete, que está saindo de um ano difícil para as vendas no varejo, está de volta ao consumo, à medida que os americanos começam a tirar suas máscaras e a se preocupar mais com o bom hálito.

Com as restrições facilitadas e as taxas de vacinação aumentando, as vendas de chicletes nos EUA começaram a progredir recentemente, segundo dados da NielsenIQ. A virada ocorre depois de dois anos consecutivos de quedas para os períodos de 12 meses encerrados em maio, um sinal de que o comportamento do consumidor está lentamente voltando ao normal.

O aumento nos gastos com chicletes é uma mudança bem-vinda para empresas como a fabricante do Trident, Mondelez International, Wrigley, da Mars, e Tootsie Roll Industries, que produz o Dubble Bubble.

E não é apenas a inflação que impulsiona o salto nas vendas totais, embora os preços por unidade também subam. O preço da embalagem média de chiclete vendida em maio foi de US$ 2,11, mostram os dados, ante US$ 2,05 no início do ano. O número de embalagens vendidas também aumentou, com os americanos comprando quase 15 milhões a mais de embalagens de chicletes em maio em comparação com os níveis de janeiro de 2021.

A demanda por chicletes diminuiu durante a pandemia por motivos claros: os americanos não saíam de casa com frequência ou se socializavam, e a necessidade de uso de máscaras e o distanciamento de quase dois metros significava que os consumidores não precisavam do frescor mentolado como nos tempos pré-pandêmicos. A recuperação nascente nas últimas semanas também reflete comparações com as primeiras semanas dos lockdowns de 2020, quando a demanda por muitos itens não essenciais diminuiu drasticamente, o que significa que ainda há mais espaço para crescer.

A Mondelez fez do retorno próximo aos níveis anteriores à Covid a “prioridade número um” do negócio de goma de mascar, disse o diretor financeiro Luca Zaramella em uma conferência no mês passado. A unidade de goma de mascar pode estar pronta para ser vendida se não conseguir se recuperar. “Temos que consertar o negócio e, em seguida, avaliar potencialmente se existem outros caminhos para criarmos mais valor para os acionistas da Mondelez.”

Mondelez, Mars e Tootsie Roll não responderam imediatamente aos pedidos de comentários.

A mobilidade restrita dos consumidores no ano passado impactou especialmente a categoria, uma vez que “75% do consumo de chiclete está na rua”, disse Dirk Van De Put, CEO da Mondelez, em uma conferência no final de 2020. “Porque você está no seu caminho no transporte público ou em seu carro, no trabalho, você está saindo - esses são tipicamente momentos de consumo de chiclete. Mas também vimos que, na crise, há muito mais estresse e ansiedade, e a goma de mascar pode ser um alívio.”

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos