Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.523,47
    -1.617,17 (-1,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.049,05
    +174,14 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,23
    -2,65 (-3,49%)
     
  • OURO

    1.877,70
    -53,10 (-2,75%)
     
  • BTC-USD

    23.327,15
    -209,81 (-0,89%)
     
  • CMC Crypto 200

    535,42
    -1,43 (-0,27%)
     
  • S&P500

    4.136,48
    -43,28 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    33.926,01
    -127,93 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.660,47
    -297,89 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.509,46
    +107,41 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.616,50
    -230,25 (-1,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5385
    +0,0488 (+0,89%)
     

O Caso de Richard Jewell | Conheça a história real do filme

O Caso de Richard Jewel conta uma história real adaptada para o cinema. O longa, dirigido por Clint Eastwood, se passa em 1996 durante as Olimpíadas de Atlanta.

O longa de 2019 foi aclamado pela crítica e público geral na época do lançamento, acumulando avaliações positivas. A trama chegou a ser indicada ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante por Kathy Bates e venceu outras premiações, como o American Film Institute e National Board of Review nas categorias Melhor Filme e Melhor Revelação para Paul Walter Hauser.

Antes de assistir ao filme, vamos conhecer melhor a história do caso, que deu o que falar na década de 1990 nos Estados Unidos e no mundo.

O Caso de Richard Jewel é sobre o quê?

O filme O Caso de Richard Jewel se passa durante as Olimpíadas de Atlanta, nos EUA, no ano de 1996, quando o guarda que dá nome ao longa diz ter descoberto uma bomba no Parque Olímpico no dia 27 de julho. Com isso, diversas pessoas conseguiram deixar o local momentos antes da explosão e suas vidas foram salvas.

Após Jewel se tornar herói nacional, o FBI começou a suspeitar de que o guarda seria o principal suspeito do atentado, passando a se tornar um vilão. Richard, então, foi acusado de ter planejado a explosão para poder bancar o herói, mesmo que isso custasse vidas.

A perseguição contra Richard Jewel durou cerca de 88 dias, mesmo que o guarda não tenha sido oficialment acusado do crime. Não demorou muito para que o FBI descobrisse que ele não era o homem que procuravam. Somente em 2005, no entanto, o culpado apareceu: Eric Rudolph, que confessou o crime.

<em>Rcihard Jewel sofreu as consequências de uma notícia falsa <strong>(Imagem: Divulgação/Warner Bros)</strong></em>
Rcihard Jewel sofreu as consequências de uma notícia falsa (Imagem: Divulgação/Warner Bros)

O que aconteceu?

O trabalho no Parque Olímpico foi uma oportunidade para Richard Jewel conseguir dinheiro para pagar uma cirurgia para a mãe, que morava em Atlanta. A contratação seria de turnos de 12 horas, mas um sacrifício que compensaria pela remuneração.

No entanto, as coisas começaram a desandar quando houve o incidente no Parque Olímpico. Richard afirma ter visto a bomba por cerca das 22h, quando havia acabado de voltar do banheiro. Ele conta que avistou um grupo de pessoas bêbadas que incomodavam e sujavam o local, e decidiu reportar à polícia.

Mas no caminho, o guarda notou a presença de uma mochila verde, de tom militar, largada embaixo de um banco. À primeira impressão, ele não imaginou que se tratava de uma bomba e até fez brincadeira com a situação para o agente do FBI Tom Davis. Na sequência, o oficial disse que ninguém havia perdido uma mochila, e a afirmação foi suficiente para que Richard desconfiar de que a situação não era boa.

Tom Davis e Richard Jewel, então, afastaram as pessoas do local, entre público e trabalhadores, e logo a explosão aconteceu. A detonação, que ocorreu de madrugada, soltou diversos estilhaços em cima de quem estava por perto. Depois, a polícia descobriu que existiam pregos dentro do cano da bomba, o que deixaria as pessoas ainda mais feridas.

<em>A explosão deixou dezenas de feridos (Imagem: Divulgação/Warner Bros.)</em>
A explosão deixou dezenas de feridos (Imagem: Divulgação/Warner Bros.)

Ainda foi registrada uma ligação para a polícia 30 minutos antes da explosão. Os atendentes anotaram a seguinte mensagem: "há uma bomba no Centennial Park. Vocês têm 30 minutos". A explosão matou uma mulher e feriu outras 111 pessoas, e um operador de câmera teve um ataque cardíaco enquanto corria para filmar a cena. Se não fosse por Jewel, o número de mortes seria ainda maior.

Quem é o culpado?

Jewel começou a ser acusado de estar envolvido após uma reportagem da jornalista Kathy Scruggs ser publicada, afirmando que uma fonte do FBI revelou que o guarda era suspeito de ter colocado a bomba. O relato acabou mudando completamente a vida de Richard e da mãe, que sofreram as consequências da desinformação.

Mesmo com a confirmação de que ele não estava envolvido com o caso, em outubro de 1996, os danos causados à vida de Richard se tornaram irreversíveis. Ele foi extremamente perseguido pela imprensa, que sempre estava em frente à casa em que ele vivia e o seguia até de helicóptero. Alguns jornalistas chegavam a ofender o acusado pelas suas características físicas, além de compará-lo a serial killers.

Por fim, o verdadeiro culpado pelo crime apareceu, deixando Richard livre das acusações, que já não tinham provas nem fundamento. Infelizmente, Jewell morreu precocemente em 2005 devido às complicações da diabetes.

Onde assistir O Caso de Richard Jewel?

Toda a história do caso é contada no filme O Caso de Richard Jewel, que acaba de estrear no Prime Video.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: