Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.264,96
    +859,61 (+0,67%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.315,69
    -3,88 (-0,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,51
    +1,87 (+2,61%)
     
  • OURO

    1.783,50
    +14,50 (+0,82%)
     
  • BTC-USD

    31.657,36
    -3.969,63 (-11,14%)
     
  • CMC Crypto 200

    766,82
    -83,52 (-9,82%)
     
  • S&P500

    4.224,79
    +58,34 (+1,40%)
     
  • DOW JONES

    33.876,97
    +586,89 (+1,76%)
     
  • FTSE

    7.062,29
    +44,82 (+0,64%)
     
  • HANG SENG

    28.489,00
    -312,27 (-1,08%)
     
  • NIKKEI

    28.010,93
    -953,15 (-3,29%)
     
  • NASDAQ

    14.137,50
    +102,50 (+0,73%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9752
    -0,0609 (-1,01%)
     

O céu (não) é o limite | Rover chinês em Marte, vídeo do Sol, meteoro na BA e+

·6 minuto de leitura

Mais uma semana se passou e, com ela, um punhado de notícias sobre exploração espacial e astronomia. Se você não conseguiu acompanhar tudo, o "resumão" chegou para facilitar sua vida e te manter antenado no que anda rolando no mundo da ciência. Acompanhamos o pouso bem sucedido do rover chinês Zhurong em Marte e suas primeiras imagens, vimos fotos de ejeção de massa coronal solar, e muito mais!

Quer ficar por dentro de tudo? Então vamos lá!

O rover chinês Zhurong pousou em Marte...

Concepção artística do módulo de pouso da Tianwen-1 durante a descida (Inagem: Reprodução/CNSA)
Concepção artística do módulo de pouso da Tianwen-1 durante a descida (Inagem: Reprodução/CNSA)

A semana começou em meio a ótimas notícias: o pouso da missão chinesa Tianwen-1 no Planeta Vermelho ocorreu conforme o planejado. O primeiro rover do país a chegar ao solo marciano pousou em um lugar chamado Utopia Planitia, que é a maior bacia de impacto de lá. Levou alguns meses para a equipe decidir pelo local, mas no fim as boas condições de pouso da cratera prevaleceram na escolha.

O rover Zhurong passará os próximos 90 dias explorando a superfície da região para estudar a composição do solo, e também para procurar por sinais de água congelada. Enquanto isso, o orbitador da missão permanecerá na órbita do planeta, servindo de retransmissor dos dados do rover para a Terra.

... e já tirou suas primeiras fotos!

(Imagem: Reprodução/CNSA)
(Imagem: Reprodução/CNSA)

Enquanto aguardava para deixar a confortável proteção do módulo de pouso, o rover já tirou suas primeiras fotos em Marte, mostrando que os instrumentos estão funcionando bem. As fotos mostram o Zhurong sobre o módulo de pouso, dentro do qual viajou até o Planeta Vermelho. Estas são as primeiras imagens da superfície de Marte produzidas por uma missão que não é realizada pelos Estados Unidos.

A imagem em preto e branco foi feita por uma câmera de desvio de obstáculos, que fica na parte frontal do rover, e mostra que a rampa à frente do veículo através da lente grande-angular. Já a imagem colorida foi feita pela câmera de navegação, mostrando os painéis solares e a antena do veículo já desdobrados.

Saiba mais sobre o pouso do Zhurong e veja as fotos do rover chinês.

Vídeo de ejeções de massa coronal do Sol

A sonda Solar Orbiter conseguiu capturar as primeiras imagens em vídeo que mostram ejeções de massa coronal, que são basicamente erupções de partículas da atmosfera solar que explodem e são arremessadas pelo Sistema Solar. As imagens foram feitas durante um sobrevoo da sonda em fevereiro deste ano.

No momento da captura de imagens, a Solar Orbiter estava "atrás" do Sol, ou seja, a estrela estava entre nosso planeta e a sonda, quando os instrumentos estavam ligados para testes, já que a sonda ainda não chegou a seu destino final. Isso significa que foi um golpe de sorte fotografar o Sol quando as ejeções estavam acontecendo!

Entenda melhor essas imagens aqui.

Meteoro diurno no céu da Bahia

Na manhã de segunda-feira, os habitantes de algumas cidades da Bahia foram surpreendidos por um objeto luminoso que cruzou o céu em plena luz do dia, seguido de um barulho estrondoso. É raro um evento desses ser tão brilhante durante o dia, mas, mesmo com o céu diurno e parcialmente nublado, foi possível ver o bólido.

Apesar de meio assustador, o bólido não oferece nenhum perigo aos habitantes. Bólidos são meteoros que apenas levam mais tempo para queimar durante sua entrada na atmosfera terrestre, mas logo em seguida eles explodem e se desintegram.

Clicando aqui, você lê mais sobre isso.

Lançamento do telescópio James Webb adiado de novo?

Concepção artísitica do James Webb em órbita (Imagem: Reprodução/Adriana Manrique Gutierrez/NASA)
Concepção artísitica do James Webb em órbita (Imagem: Reprodução/Adriana Manrique Gutierrez/NASA)

O aguardado (e já muito atrasado) lançamento do Telescópio Espacial James Webb pode ser adiado mais uma vez. A data atual continua prevista para o dia 31 de outubro, só que um relatório divulgado pelo Government Accountability Office (GAO) revela uma chance de que o foguete responsável pelo lançamento apresente alguns problemas na data.

Na verdade, o foguete Ariane 5 já apresenta algumas anomalias, e os lançamentos das missões que seriam realizadas por ele estão "meio que" adiados. Já que a NASA ainda não alterou a data para lançar o James Webb, pois ainda há alguma chance de que os problemas do foguete sejam reparados antes do dia 31 de outubro.

Saiba mais sobre essa "treta" aqui.

Estrelas de nêutrons podem ser maiores que se imaginava

Ilustração de uma estrela de nêutrons (Imagem: Reprodução/Raphael.concorde/ Daniel Molybdenum/NASA)
Ilustração de uma estrela de nêutrons (Imagem: Reprodução/Raphael.concorde/ Daniel Molybdenum/NASA)

Estrelas de nêutrons, os objetos visíveis mais densos do universo, costumam ser descritas como uma esfera que tem um raio de apenas 10 km, mas uma nova pesquisa sugere que elas são um pouco maiores que isso. O artigo se baseia em outro estudo, realizado ao longo da última década, e mediu a “pele” de nêutrons ao redor de um núcleo de chumbo.

Os pesquisadores conseguiram a proeza de mostrar que a nova medida do átomo de chumbo implica que uma estrela de nêutrons tem, em média, um raio entre 13,25 e 14,25 km. Isso não muda o fato de que essas miudinhas são extremamente densas!

Entenda melhor essa pesquisa aqui.

Qual o melhor radiotelescópio para o lado afastado da Lua?

Representação artística do projeto LCRT instalado no lado afastado da Lua (Imagem: Reprodução/NASA/Vladimir Vustyansky)
Representação artística do projeto LCRT instalado no lado afastado da Lua (Imagem: Reprodução/NASA/Vladimir Vustyansky)

A NASA está selecionando qual dos projetos de radiotelescópio concebidos para construção no lado afastado da Lua se tornará real. Um desses projetos é o Lunar Crater Radio Telescope (LCRT), que pretende transformar uma cratera de cerca de 0,8 km de diâmetro em um grande radiotelescópio, aproveitando o formato de parabólica do acidente geológico. O outro é o FARSIDE, que teria mais de 9 km de diâmetro.

Essa ideia de construir um radiotelescópio no lado afastado da Lua existe desde a década de 1960, mas só agora a tecnologia robótica pode viabilizar o conceito. A ideia é que, nessa região da Lua, o instrumento ficaria tão isolado da luz e radiação da Terra que seria capaz de captar ondas de rádio em baixa frequência que sobraram do início do universo. Ou seja: ele seria capaz de desvendar ainda mais mistérios sobre os acontecimentos logo após o Big Bang!

Conheça os projetos de radiotelescópio aqui.

Ex-tenente diz ter visto OVNIs diariamente por quase dois anos

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Essa deu o que falar! O ex-tenente naval dos EUA, Ryan Graves, disse ter visto objetos voadores não identificados realizando manobras estranhas, todos os dias, durante quase dois anos. Essas manobras teriam ocorrido em um espaço aéreo restrito que ficava próximo à cidade de Virginia Beach. Claro, OVNIs são, como a sigla já diz, objetos voadores que não puderam ser identificados, não sendo necessariamente naves alienígenas — e Graves sabe disso. Ele inclusive comentou que os objetos poderiam representar uma ameaça real, caso fossem jatos de outros países.

Ainda assim, há espaço para especulações de todo tipo, já que Graves não conseguiu identificar a tecnologia dos objetos. Ele cogita que poderia se tratar de algum programa de observação de algum país como a China ou Rússia. Já Luis Elizondo, outro entrevistado, afirma que viu objetos que parecem ter tecnologias bastante avançadas, capazes de voar a 20 mil km/h e evadir radares.

Confira essa história "doida" aqui.

Leia também:

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos