Mercado fechado

O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (05/11/2019)

Patrícia Gnipper

Chegou aquele dia da semana que muitos aguardam: a terça-feira, dia em que o Canaltech prepara um resumo com as principais notícias científicas da última semana. Afinal, sabemos que muita gente que adora o que acontece no "mundão" da ciência e da astronomia simplesmente não tem tempo de acompanhar o noticiário diariamente, então a gente dá uma "mãozinha" para deixá-lo sempre bem informado, com poucos minutos de leitura!

Cérebro operado e com live no Facebook

Uma cirurgia cerebral foi conduzida em uma mulher nos EUA com milhares de pessoas assistindo à operação ao vivo pelo Facebook. A cirurgia precisava remover uma grande quantidade de vasos sanguíneos do cérebro da paciente, que sofria com convulsões — mas a live não mostrou sangue algum para não ir contra as regras de uso da rede social.

A paciente permaneceu acordada durante o procedimento, pois era preciso que ela estivesse consciente para garantir que nenhuma parte de seu cérebro responsável pela fala ou pelos seus movimentos fosse afetada. O vídeo de 45 minutos teve mais de 45 mil visualizações ao vivo.

Descoberto novo tipo de buraco negro

Um novo tipo de buraco negro recém descoberto já seria razão para se empolgar, mas o mais legal desta história é que este novo tipo de buraco negro é bastante pequeno em comparação com os demais já conhecidos. Ainda, para sua descoberta foi usado um novo método capaz de localizar pequenos buracos negros pelo universo, o que também é uma novidade.

E, para deixar tudo ainda mais intrigante, um desses novos objetos não atrai a matéria de uma estrela companheira, como acontece com a maior parte dos buracos negros dos quais temos conhecimento.

Confirmada água no cometa interestelar 2l/Borisov

O visitante interestelar fotografado por telescópio

O cometa interestelar 2l/Borisov, que está passeando agora pela Via Láctea, já teve uma cauda cheia de gases detectada e, agora, foi confirmada a presença de água em sua composição — como é de esperar em cometas, sejam eles interestelares ou não. Essa é a primeira vez em que cientistas confirmam sinais de água no Sistema Solar proveniente de outros lugares no espaço, por sinal. O visitante ainda estará nas redondezas por mais ou menos um ano, então ainda há muito o que descobrir a seu respeito!

Plutão poderá ser estudado de novo, mas com sonda aprimorada

<3

Depois do sucesso da missão New Horizons, que estudou Plutão e suas luas em 2015, a NASA agora está pensando em enviar uma sonda aprimorada para estudar ainda mais o planeta anão. As pesquisas iniciais já começaram, ainda que a nova missão não tenha sido oficializada, e a ideia é que a proposta seja apresentada na próxima década.

O objetivo, por enquanto, é que a nova sonda orbite Plutão por dois anos antes de, assim como fez a New Horizons, partir para visitar outros objetos do Cinturão de Kuiper.

Sonda interestelar poderá observar além do Sistema Solar na década de 2030

Também da NASA, um grupo de pesquisadores quer desenvolver uma nova sonda interestelar para estudar o que existe além do Sistema Solar a partir dos anos 2030. Esta seria a primeira missão com este objetivo, ainda que as sondas Voyager, lançadas em 1977, estejam hoje em dia no espaço interestelar fazendo alguns estudos a respeito, enquanto ainda estão em funcionamento.

As duas Voyager já no espaço interestelar

E por falar nas Voyager, a Voyager 2 já começou a nos enviar dados sobre o espaço interestelar onde se encontra, mostrando que, possivelmente, a heliosfera é simétrica. É que a sonda registrou sua passagem por essa "fronteira" a uma distância do Sol basicamente igual à registrada pela Voyager 1, que fez essa travessia anos antes. Estima-se que a Voyager 2 ainda possa se manter em funcionamento por mais cinco anos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: