O 13º mal caiu e já acabou? Saiba como usá-lo bem e sobreviver às compras de fim de ano

Comprar presentes? Pagar dívidas? Colocar na poupança? Veja dicas de especialistas sobre o que fazer com o salário extra


Já começou a contagem regressiva para as festas de fim de ano. Natal, ceia, presentes. Ano Novo, espumante, pular sete ondas. Não dá para fechar o ano sem pelo menos alguns itens dessa lista, não é verdade? Os supermercados já estão abarrotados de panetones e as ofertas de fim de ano começam a pipocar em todas as lojas. É dada a largada da temporada das compras!

E para dar uma forcinha nessas despesas extras chega o tão aguardado décimo terceiro. Mas não dá para esquecer as dívidas que ainda estão por aí. E será que também não é a hora de guardar um pouquinho para a casa ou o carro que você quer comprar no ano que vem? Afinal, qual a melhor forma de usar o décimo terceiro?

Especialistas consultados pelo Yahoo! dão cinco dicas infalíveis sobre como você pode melhor administrar esse dinheiro, em ordem de prioridade. Isso quer dizer que por mais que você não consiga seguir todos esses passos (afinal o décimo terceiro, infelizmente, não é infinito), saberá o que é mais importante fazer primeiro. Sem dúvida, temos que aproveitar o melhor das festas de fim de ano, mas sem começar 2013 já atolados em dívidas. Veja as dicas:

1. Pagar dívidas atrasadas:

Para aqueles que já estão no vermelho, não tem jeito. Antes de pensar no peru de Natal, a prioridade é usar o dinheiro extra para pagar as contas atrasadas, explica o planejador e consultor financeiro pessoal da WGFP Finanças Pessoais, Lucas Radd. "Pague tudo aquilo que estava em atraso, as dívidas com juros mais altos devem ser eliminadas: o cheque especial, o rotativo do cartão de crédito e empréstimos pré-aprovados", explica.

2. Reservar para despesas de início de ano:

Se você é daqueles que gasta como se não houvesse amanhã, mas sempre se arrepende depois quando olha a fatura do cartão de crédito, o sócio do Dinheirama Educação Financeira, Ricardo Pereira, tem uma dica especialmente para você: "o começo do ano é uma época particularmente estressante financeiramente, com impostos, matrícula de escola, material escolar e outras coisas. Uma reserva de dinheiro para isso pode ser aplicada na poupança por exemplo".

3. Criar uma reserva para emergências:

Já imaginou que bom seria se você tivesse um dinheirinho guardado especialmente para as despesas extras de virada de ano e pudesse fazer o que quisesse com o décimo terceiro agora? Para 2012 não dá mais, mas não é exagero já começar a se programar para o ano que vem. Ricardo reforça a importância de se criar uma reserva financeira para emergências. "A ideia é ter um lugar onde você possa buscar apoio financeiro nos momentos de dificuldade ou de emergência. O ideal é que você consiga acumular pelo menos seis vezes o valor de sua renda mensal. A poupança também é uma boa opção para isso", considera.

4. Viajar:

Quanto tempo dura a alegria de se usar um sapato novo? E as lembranças de uma viagem maravilhosa? O ano foi duro e agora chegou a hora das suas férias mais do que merecidas. Antes das compras, Lucas recomenda priorizar as oportunidades de lazer e viagens de fim de ano, que, logicamente, também pesam no bolso nessa época. Para quem não tem dívidas acumuladas e já possui uma reserva para emergências, essa é uma ótima opção de uso do décimo terceiro, na visão do especialista. Pode não ser o seu caso neste ano, mas, com organização e planejamento, pode muito bem ser uma opção para o final de 2013. Que tal uma de suas promessas de Ano Novo ser poupar 10% do salário? É uma boa dica do consultor financeiro pessoal e diretor da Planilhar Planejamento Financeiro, Erasmo Vieira.

5. Enfim, sair às compras:

Depois de tudo isso, se é que sobrou alguma coisa do seu décimo terceiro, agora, sim, é hora das compras. Brincadeiras à parte, ao contrário do que a maioria dos brasileiros costuma fazer nessa época, as compras devem estar por último na lista de obrigações financeiras de fim de ano. "Com a quantidade de pessoas endividadas que existe hoje no Brasil, chegar ao final do ano sem dívidas para pagar já é quase um ato de heroísmo", avalia o educador financeiro André Massaro. Já Ricardo lembra que outro erro comum é deixar para fazer as compras praticamente na véspera de Natal. "Antecipe as compras e pesquise muito antes de comprar. A internet e as lojas online podem ser uma ótima opção", recomenda.

Finalmente, chegou a hora de procurar os presentes para a família ou para você mesmo, por que não? "Quem não tem dívidas, pode usar o dinheiro para o consumo, sem culpa", afirma André. Um dia a gente chega lá.

Carregando...