NY sobe e Dow atinge maior nível desde outubro de 2007

As Bolsas de Nova York fecharam em leve alta nesta quarta-feira, mas foi suficiente para fazer o índice Dow Jones terminar a sessão no nível mais elevado desde 31 de outubro de 2007. Os mercados foram impulsionados por balanços corporativos positivos e a aprovação de uma suspensão temporária no limite de endividamento do governo.

O índice Dow Jones ganhou 67,12 pontos (0,49%) e fechou a 13.779,33 pontos. Foi a nona alta em dez sessões. O Nasdaq avançou 10,49 pontos (0,33%), encerrando aos 3.153,67 pontos. E o S&P 500 teve alta de 2,25 pontos (0,15%), terminando a 1.494,81 pontos.

Os deputados norte-americanos aprovaram um projeto de lei que suspende o limite legal de endividamento do governo do país por três meses. Para se tornar lei, o projeto precisa de aprovação do Senado e de sanção do presidente Barack Obama. a aprovação dá tempo para que o governo Obama e o Congresso negociem um pacote orçamentário de longo prazo.

Na agenda de indicadores, o único dado relevante foi o relatório da Agência Federal de Financiamento Imobiliário (FHFA, na sigla em inglês) sobre os preços das moradias. O índice subiu 0,6% em novembro ante outubro, para 192,8 pontos, em base ajustada sazonalmente. O resultado ficou abaixo da previsão dos economistas consultados pela Dow Jones, de aumento de 0,8%.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) informou mais cedo que continua apostando em uma recuperação da economia mundial em 2013, mas em ritmo lento. A previsão é um crescimento econômico global de 3,5% este ano, acima dos 3,2% de 2012, de acordo com uma atualização de projeções referente ao relatório de previsões globais que o FMI soltou em outubro. Naquele mês, a previsão era de expansão de 3,6% para a economia mundial. Para os EUA, a expectativa é crescer 2%, ante 2,1% em outubro, expansão puxada entre outros fatores pela recuperação do setor de construção civil.

Mas o que animou mesmo os mercados foram os balanços corporativos. A alta foi liderada pelas ações da IBM, que subiram 4,41% em reação a seu informe de resultados. Entre as ações de empresas que divulgaram balanços, outros destaques foram Google (+5,50%), United Technologies (+0,69%), AMD (+11,43%), McDonald's (+0,57%) e US Airways (+1,48%).

A Apple, que divulgou balanço após o fechamento do mercado, teve alta de 1,83%. A companhia registrou lucro líquido de US$ 13,08 bilhões (US$ 13,81 por ação) no primeiro trimestre fiscal, encerrado em dezembro. A receita ficou em US$ 54,5 bilhões. A companhia vendeu 47,8 milhões de iPhones e 22,9 milhões de iPads. Não são números ruins, mas ficaram abaixo das expectativas dos analistas.

"Nós ainda estamos no começo da temporada de balanços, mas até agora as coisas estão indo bem", afirmou Paul Quinsee, diretor de investimento da JPMorgan Asset Management. "Nós acreditamos que os fundamentos subjacentes das ações dos EUA são bons, e os preços estão em níveis bem razoáveis, especialmente quando comparados com outras classes de ativos", acrescentou.

No campo negativo fecharam empresas de matérias-primas e companhias de serviços públicos. Hewlett-Packard perdeu 1,39%, Cisco Systems teve queda de 1,20% e Caterpillar registrou desvalorização de 0,89%. As informações são da Dow Jones.

Carregando...