NY abre sem rumo claro em dia de produção industrial

Os índices das bolsas norte-americanas operam sem direção clara nesta sexta-feira, sugerindo uma abertura também sem direção definida para o pregão, dia com números de produção industrial de janeiro dos Estados Unidos. Às 12h15 (de Brasília), o Dow Jones futuro recuava 0,01%, o Nasdaq subia 0,04% e o S&P 500 perdia 0,03%.

Um dos indicadores mais esperados nesta sexta-feira era o da produção industrial dos EUA, que caiu 0,1% em janeiro, ante previsão de alta de 0,2% dos economistas.

Mais cedo, foi divulgado o índice de atividade regional Empire State, medido pelo Federal Reserve de Nova York. O indicador surpreendeu e subiu a 10,4 em fevereiro, ante expectativa de que ficasse em -3. Os economistas do RBC Capital Markets destacam, em uma nota a clientes, que a melhora em relação a janeiro é mais um indício de que a atividade industrial neste início de ano está sendo melhor que no último trimestre de 2012.

Para o índice de sentimento do consumidor de fevereiro da Universidade de Michigan, que será divulgado às 12h55 (de Brasília), o RBC também espera uma melhora em relação a janeiro, como reflexo da alta da bolsa e do preço dos imóveis. O banco canadense prevê que o índice fique em 76, ante 73,8 no mês passado. O que pode prejudicar o indicador, destaca o economista do RBC, Jacob Oubina, seria um impacto negativo no consumidor por causa da alta do preço da gasolina.

Na avaliação do estrategista chefe de investimentos da Brewin Dolphin, Guy Foster, os dados mais recentes da economia norte-americana mostram uma recuperação gradual da economia. Por isso, Foster não vê motivos para uma realização maior de lucros na bolsa e destaca, em um relatório da gestora, que a tendência dos mercados acionários é de alta.

Para a Europa, que na quinta-feira chegou a provocar queda nas ações com dados fracos do Produto Interno Bruto (PIB), ele avalia que a situação não está resolvida, mas não é motivo de uma preocupação grande como foi no passado recente e uma recuperação do crescimento é esperada para este ano.

No noticiário corporativo, depois de uma quinta-feira com a megafusão da American Airlines com a US Airways, e a venda da Heinz, a sexta-feira por enquanto tem um noticiário menos intenso.

O papel da Heinz perdia 0,11% no pré-mercado com a notícia de que a Securities and Exchange Commission (SEC, a comissão de valores mobiliários dos EUA) está examinando as operações com opções realizadas antes da aquisição de US$ 23 bilhões da empresa de alimentos, segundo o jornal The New York Times.

O setor de alimentos segue no radar nesta sexta-feira, com grandes empresas, como Campbell Soup, Kraft Foods e Burguer King, anunciando balanços.

A Campbell Soup, fabricante da famosa sopa, anunciou corte de 260 funcionários no México e lucro em queda de 7% no segundo trimestre fiscal. A empresa também informou que busca oportunidades no mercado internacional, sinalizando que pode fazer novas aquisições. No pré-mercado, o papel recuava 1,21%.

A rede de fast food Burger King divulgou nest asexta-feira lucro líquido de US$ 48,6 milhões no quarto trimestre de 2012, ou US$ 0,14 por ação, representando alta de 94% em relação ao ganho de US$ 25 milhões (US$ 0,07/ação) registrado em igual período de 2011. O resultado foi favorecido por despesas menores. O lucro ajustado por ação subiu para US$ 0,23, de US$ 0,14. A receita caiu 30% na mesma comparação, para US$ 404,50 milhões. No pré-mercado, ação da empresa subia 3,74%.

Carregando...