Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.232,74
    +1.308,56 (+1,22%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.563,98
    +984,08 (+1,98%)
     
  • PETROLEO CRU

    114,07
    -0,13 (-0,11%)
     
  • OURO

    1.823,00
    +9,00 (+0,50%)
     
  • BTC-USD

    30.106,23
    -1.076,82 (-3,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    667,04
    +424,36 (+174,87%)
     
  • S&P500

    4.008,01
    -15,88 (-0,39%)
     
  • DOW JONES

    32.223,42
    +26,76 (+0,08%)
     
  • FTSE

    7.464,80
    +46,65 (+0,63%)
     
  • HANG SENG

    19.950,21
    +51,44 (+0,26%)
     
  • NIKKEI

    26.547,05
    +119,40 (+0,45%)
     
  • NASDAQ

    12.265,75
    +21,00 (+0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2599
    +0,0008 (+0,02%)
     

Nvidia teria começado testes da RTX 4090 com memórias de 24 Gbps

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Novos rumores sugerem que a Nvidia já teria iniciados os testes de desempenho do AD102, chip que equipará a aguardada GeForce RTX 4090. A etapa é uma das últimas antes do envio do projeto para fabricação, e reforça a proximidade do lançamento da nova geração de GPUs da companhia que, ao menos em seu modelo entusiasta, pode utilizar memórias ainda mais velozes do que as presentes na RTX 3090 Ti.

RTX 4090 teria entrado em fase de testes

As informações chegam por meio do leaker kopite7kimi, que sugeriu em publicação no Twitter que o AD102 teria entrado em fase de testes, apesar de não ter dado mais detalhes sobre especificações ou prazo para que essa etapa seja concluída. Ainda assim, com a fase iniciada, é provável que benchmarks da solução comecem a surgir, dando uma noção inicial do que podemos esperar da GPU que equipará os modelos mais potentes da família RTX 4000.

Em outra publicação, o informante divulgou detalhes sobre os números de modelo e configurações de memória que acompanhariam o AD102 e, mais especificamente, a RTX 4090. A placa deve ser identificada pelo número PG137/139-SKU330, enquanto a GPU em si teria código de identificação AD102-300, seguindo a mesma lógica da geração anterior — o chip que equipa a RTX 3090 padrão adota o número GA102-300.

O componente entusiasta manteria os 24 GB de VRAM da antecessora, com memórias GDDR6X de 24 Gbps operando a 21 Gbps, possivelmente como maneira de limitar o aquecimento do modelo inicial. A RTX 3090 passou por situação semelhante ao limitar os chips de RAM a 19,5 Gbps, em vez de tirar proveito da velocidade máxima de 21 Gbps.

O consumo atingiria novos patamares ao chegar aos 600W, um aumento de 150 W em relação à RTX 3090 Ti. Dito isso, há rumores conflitantes sobre a real quantidade de energia que a RTX 4090 consumiria, com números que variam de 450 W a 500 W. Seja como for, a novidade deve aumentar significativamente o consumo, especialmente considerando os novos padrões definidos pelo protocolo ATX 3.0 para fontes de alimentação, liberados recentemente pela Intel

Nova GPU entusiasta da Nvidia pode dobrar desempenho

Os rumores e o grande vazamento sofrido recentemente pela Nvidia já revelaram alguns detalhes sobre o AD102 e a RTX 4090, que pode marcar um enorme salto de desempenho a julgar pelas especificações citadas. As informações sugerem que o componente contará com 144 Streaming Multiprocessors (SMs), contra 84 da RTX 3090, trazendo 18.432 núcleos CUDA, 144 RT Cores e 576 Tensor Cores, um aumento notável de 76% em uma geração.

A sucessora da RTX 3090 pode trazer 75% mais núcleos CUDA, empregar cache L2 16 vezes maior e entregar cerca de 90 TFLOPs de poder computacional (Imagem: Reprodução/Nvidia)
A sucessora da RTX 3090 pode trazer 75% mais núcleos CUDA, empregar cache L2 16 vezes maior e entregar cerca de 90 TFLOPs de poder computacional (Imagem: Reprodução/Nvidia)

Outra mudança de peso estaria na fabricação, que sairia das mãos da Samsung para retornar à TSMC, utilizando a mesma litografia customizada 4N de 4 nm empregada na recém-anunciada H100, GPU de processamento de dados da Nvidia. A solução contaria ainda com 96 MB de cache L2, 16 vezes mais que a antecessora, para garantir que a enorme quantidade de núcleos sempre tenha acesso aos dados sensíveis, auxiliada pela largura de banda de mais de 1 TB/s.

A combinação dessas especificações, junto a clocks que ultrapassariam os 2.000 MHz de fábrica, poderiam fazer a RTX 4090 entregar cerca de 90 TFLOPs de poder computacional, mais de duas vezes mais que os 36 TFLOPs entregues pela RTX 3090. Ainda de acordo com os rumores, a nova placa entusiasta da Nvidia, junto ao restante da família, devem estrear durante o terceiro trimestre de 2022, possivelmente em setembro.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos