Mercado fechará em 5 h 51 min

Nvidia RTX 6000 Ada para profissionais promete 4x mais desempenho

Além de revelar a nova família de placas GeForce para gamers, a Nvidia lançou sem alarde a RTX 6000 Ada Generation, GPU estreante para profissionais que também tira proveito da inédita microarquitetura Ada Lovelace. Assim como sua contraparte para jogos, a solução profissional promete saltos massivos de desempenho de até 4 vezes dependendo da carga de trabalho, tendo algumas novidades exclusivas pensadas para as tarefas mais intensas realizadas pelo público que busca atender.

Mesmo tendo "parentesco próximo" com a RTX 4090 por também utilizar o chip AD102, a RTX 6000 Ada Generation é significativamente mais avançada por trazer configurações mais robustas e contar com os drivers otimizados para apps profissionais, como Blender e AutoCAD. Por aqui, a GPU é quase totalmente habilitada, contando com 18.172 núcleos CUDA divididos em 142 Streaming Multiprocessors (SMs), acompanhados de 142 RT Cores para Ray Tracing e 568 Tensor Cores para processamento de Inteligência Artificial.

Um dos maiores destaques é a capacidade de 48 GB da VRAM GDDR6 com correção de erros (ECC), operando em uma interface de 384-bit. Ainda que não haja informações sobre a velocidade e, consequentemente, a largura de banda, a gigante promete que a grande quantidade de memória será essencial para profissionais que trabalham com arquivos pesados e grandes modelos de IA. O consumo máximo é estabelecido em 300 W, mas as frequências de operação não foram anunciadas, nem o poder computacional da GPU.

Destinada a profissionais, a Nvidia RTX 6000 Ada Generation embarca a nova arquitetura Ada Lovelace em uma configuração ainda mais poderosa que a RTX 4090 (Imagem: Nvidia)
Destinada a profissionais, a Nvidia RTX 6000 Ada Generation embarca a nova arquitetura Ada Lovelace em uma configuração ainda mais poderosa que a RTX 4090 (Imagem: Nvidia)

Apesar disso, grande destaque foi dado ao aumento do cache L2 para manter mais dados próximos aos núcleos, além do uso da microarquitetura Ada Lovelace e os benefícios que proporciona. Unindo os avanços da litografia customizada 4N de 4 nm da TSMC com núcleos CUDA aprimorados, o lançamento seria de 2 a 4 vezes mais potente que a antecessora, a RTX A6000, trazendo as novidades de peso em Ray Tracing (RT) e Inteligência Artificial.

Com os RT Cores de 3ª geração, a companhia promete 2 vezes mais performance em RT, enquanto os Tensor Cores de 4ª geração ofereceriam 2 vezes mais velocidade no treinamento de IA com a adição do novo formato de dados FP8 de alta precisão, mais veloz e encorpado, vindo diretamente da GPU para data centers H100. Fora isso, há um diferencial interessante na codificação e decodificação de vídeos em comparação à família RTX 4000.

Em vez de codificadores NVENC duplos, a RTX 6000 Ada Generation embarca estruturas NVENC triplas, prometendo dessa maneira velocidade de renderização de vídeos até 3 vezes maior frente à RTX A6000. Amplia os ganhos o uso do codec AV1 para codificação, cujas vantagens estariam em melhor qualidade de imagem com maior eficiência na compressão dos arquivos e, principalmente, uma melhor experiência de streaming de games, vídeos ou mesmo de Realidade Estendida (XR), com a nova tecnologia Nvidia CloudXR.

Uma das características únicas das placas para workstation da Nvidia é a possibilidade de virtualização, permitindo que múltiplos usuários tirem proveito do hardware da GPU em diferentes máquinas virtuais. A nova placa adotaria o software NVIDIA virtual GPU (vGPU), que garantiria múltiplas instâncias (unidades) de alto desempenho, munidas de elevada quantidade de memória, rodando simultaneamente.

Preço e disponibilidade

A Nvidia RTX 6000 Ada Generation está prevista para chegar aos distribuidores oficiais globalmente em dezembro. Como é costume na família de placas profissionais da companhia, preços não foram anunciados, mas é esperado que valores bastante elevados sejam praticados considerando o foco em profissionais, as otimizações dos drivers e os preços a partir de R$ 35 mil ainda cobrados pela geração anterior.

Nvidia RTX 6000 Ada Generation: ficha técnica

  • GPU: AD102

  • Streaming Multiprocessors (SMs): 142

  • CUDA Cores (Núcleos): 18.172

  • Tensor Cores (IA): 568

  • RT Cores (Ray Tracing): 142

  • Frequências: N/A

  • Poder computacional (FP32): N/A

  • Memória VRAM: 48 GB GDDR6 com ECC

  • Interface da memória: 384-bit

  • Velocidade da memória: N/A

  • Largura de banda: N/A

  • Consumo: 300 W

  • Conector de energia: 1x conector de 8 pinos

  • Fonte recomendada: N/A

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: