Mercado abrirá em 4 h 22 min
  • BOVESPA

    129.264,96
    +859,61 (+0,67%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.315,69
    -3,88 (-0,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,26
    -0,40 (-0,54%)
     
  • OURO

    1.777,30
    -5,60 (-0,31%)
     
  • BTC-USD

    32.019,13
    -951,33 (-2,89%)
     
  • CMC Crypto 200

    762,00
    -88,34 (-10,39%)
     
  • S&P500

    4.224,79
    +58,34 (+1,40%)
     
  • DOW JONES

    33.876,97
    +586,89 (+1,76%)
     
  • FTSE

    7.080,29
    +18,00 (+0,25%)
     
  • HANG SENG

    28.309,76
    -179,24 (-0,63%)
     
  • NIKKEI

    28.884,13
    +873,20 (+3,12%)
     
  • NASDAQ

    14.085,25
    -44,75 (-0,32%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9719
    -0,0034 (-0,06%)
     

Nvidia não irá apostar em GPUs para celular no momento; GeForce NOW é prioridade

·3 minuto de leitura

Samsung e AMD balançaram o mercado quando anunciaram durante o lançamento do Exynos 2100 em janeiro do ano passado que estavam trabalhando juntas para trazer as GPUs Radeon à próxima geração do processador.

O chip, conhecido até o momento como Exynos 2200, recebeu novidades nesta semana e está previsto para chegar ao mercado ainda neste ano, trazendo GPU Radeon com arquitetura RDNA 2, mesma do PS5 e Xbox Series X|S, e suporte à Ray Tracing, algo inédito entre os smartphones.

A novidade causou certa pressão na Nvidia, especialmente quando consideramos o processo de compra da ARM, desenvolvedora da arquitetura usada não apenas nos chips Exynos como em praticamente todas as demais opções mobile. Ainda assim, não espere ver um smartphone com RTX e DLSS tão cedo, como confirmou o CEO da companhia, Jensen Huang.

"Vamos considerar no tempo certo"

Em uma sessão de Q&A (Pergunta e Respostas) durante a Computex 2021, Jensen Huang foi questionado se veríamos a linha GeForce com Ray Tracing chegar aos smartphones. O CEO descartou a possibilidade, ao menos por enquanto, afirmando que jogos com a tecnologia de simulação de luz são "muito grandes", e que "terão o momento certo", quando a Nvidia irá considerar investir no segmento.

Jogos com Ray Tracing são muito grandes, para ser sincero. O conjunto de dados é muito grande, e haverá o tempo certo para isso. Quando o tempo for o certo nós talvez consideremos isso — Jensen Huang, CEO da Nvidia

O site NotebookCheck levanta duas teorias que podem justificar a postura de Huang. A primeira considera que o executivo de fato acredita que a tecnologia atual de Ray Tracing ainda precisa diminuir de tamanho e se tornar mais eficiente para poder integrar smartphones. A AMD e a Samsung estariam apostando na função por ter acesso à litografia de 5 nm da gigante sul-coreana, mais eficiente que os 8 nm utilizados atualmente pela linha GeForce.

A transação ainda incompleta da compra da ARM pode ser um dos motivos pelos quais a Nvidia não planeja investir em GPUs mobile no momento (Imagem: Divulgação/Nvidia)
A transação ainda incompleta da compra da ARM pode ser um dos motivos pelos quais a Nvidia não planeja investir em GPUs mobile no momento (Imagem: Divulgação/Nvidia)

A segunda, e ainda mais provável, tem como ponto principal a compra da ARM, ainda sob investigação de órgãos reguladores. A Nvidia pode estar esperando que a aquisição seja concluída para começar a estudar as possibilidades que o mundo dos celulares tem a oferecer às GPUs da companhia.

GeForce NOW é prioridade

Dito isso, Huang enxerga o GeForce NOW, serviço de streaming de jogos para smartphones, PCs e navegadores como a solução para atingir um público maior. O serviço já conta com mais de 1.000 jogos no catálogo e 10 milhões de usuários em todo o mundo, com planos de chegar ao Brasil e à América Latina ainda em 2021.

Plataforma de streaming de jogos da Nvidia, o GeForce NOW é o caminho pelo qual a empresa quer atingir jogadores em smartphones (Imagem: Divulgação/Nvidia)
Plataforma de streaming de jogos da Nvidia, o GeForce NOW é o caminho pelo qual a empresa quer atingir jogadores em smartphones (Imagem: Divulgação/Nvidia)

O executivo explica que a expansão da plataforma é a atual estratégia da Nvidia para atender não apenas celulares e PCs, como também Macs, TVs e dispositivos com Linux, caminho que a empresa considera ser o mais acertado.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos