Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +998,33 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,18 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,34
    -0,88 (-1,08%)
     
  • OURO

    1.797,30
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    17.059,94
    +95,97 (+0,57%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,87 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.979,00
    -83,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4940
    +0,0286 (+0,52%)
     

Nvidia GeForce RTX 4090 surpreende e roda games em resolução 13K

Modelo mais avançado da nova família RTX 4000, a Nvidia GeForce RTX 4090 foi levada ao limite em testes recentes feitos pelo canal Golden Reviewer, que avaliou o desempenho da placa gamer em resolução 13K. A GPU surpreende ao conseguir entregar taxas razoáveis de quadros, especialmente considerando a quantidade absurda de pixels renderizados, ainda que títulos mais leves tenham sido utilizados.

O primeiro teste foi realizado em Overwatch 2 e possivelmente é o mais impressionante dos dois, em virtude da taxa média de quadros: 200 FPS. Para o game, o criador de conteúdo definiu a resolução para 7K (6880 x 2880 pixels) e aplicou então a escala de resolução para 200%, resultando em 13K (13760 x 5760 pixels). Além disso, todas as configurações gráficas, com exceção do MSAA, estavam no máximo.

Nos pouco mais de 6 minutos de vídeo, é possível notar como a RTX 4090 consegue manter a taxa de quadros com tranquilidade, sem engasgos ou quedas muito bruscas, mesmo nos momentos mais intensos de combate. Também vale destacar que o DLSS 3, que gera frames adicionais, não estava habilitado e, mesmo que fosse o caso, isso significaria que a GPU estaria conseguindo manter uma média de ao menos 100 FPS.

O segundo teste foi feito em Genshin Impact, game de ação e aventura com elementos de gacha ainda muito popular. Por aqui, a resolução foi nativamente definida para 13K, sem uso de escalas, e todas as configurações gráficas estavam no máximo. A taxa foi de apenas 30 FPS, número bem mais modesto frente a Overwatch, mas não menos impressionante. O game é reconhecidamente mal otimizado, e ainda assim a placa da Nvidia conseguiu manter a fluidez, sem qualquer travamento.

É preciso considerar alguns pontos: enquanto Overwatch 2 é um jogo competitivo e, portanto, é otimizado para não exigir hardware potente, Genshin Impact é um título originalmente destinado a celulares, também contando com requisitos básicos mais baixos, como uma GeForce GTX 1060 como placa recomendada. Dito isso, não se pode tirar o mérito da placa, especialmente em uma resolução tão alta.

Com esses resultados, é possível dizer que a RTX 4090 está preparada para rodar títulos em 8K com certa folga — uma das promessas da antecessora, a RTX 3090, que exigia o uso de DLSS para conseguir manter taxas de quadros minimamente fluidas na resolução.

RTX 4090 é placa mais poderosa da Nvidia

Lançada no final de setembro, a Nvidia GeForce RTX 4090 assumiu o posto de placa mais poderosa da empresa, contando com inúmeras novidades. Baseada na microarquitetura Ada Lovelace e fabricada na litografia customizada 4N da TSMC, a GPU embarca mais de 18 mil núcleos CUDA e 24 GB de memória GDDR6X dedicada, e é capaz de atingir clocks altíssimos que beiram os 3.000 MHz, chegando a quase 90 TFLOPs de poder computacional — salto de mais de 2 vezes frente à RTX 3090.

Baseada na microarquitetura Ada Lovelace, a Nvidia GeForce RTX 4090 trouxe saltos impressionantes de desempenho, tanto em rasterização quanto em Ray Tracing (Imagem: Nvidia)
Baseada na microarquitetura Ada Lovelace, a Nvidia GeForce RTX 4090 trouxe saltos impressionantes de desempenho, tanto em rasterização quanto em Ray Tracing (Imagem: Nvidia)

Também estão entre os destaques os novos Tensor Cores, capazes agora de gerar quadros inteiros dos games utilizando IA com o DLSS 3, e os RT Cores aprimorados, que prometem saltos expressivos de desempenho em processamento de Ray Tracing graças à Shader Execution Reordering (SER), tecnologia que organiza melhor os dados coletados pelos raios para tirar proveito do paralelismo do chip gráfico e turbinar a performance.

A RTX 4090 já está amplamente disponível no mundo inteiro, inclusive no Brasil, onde foram lançados os modelos customizados de fabricantes parceiras como ASUS, GALAX e Gigabyte. No entanto, interessados terão de desembolsar um bom dinheiro, já que as opções mais baratas partem de R$ 13 mil.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: