Mercado fechará em 3 hs
  • BOVESPA

    119.425,26
    -139,18 (-0,12%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.808,35
    +408,55 (+0,84%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,66
    -0,97 (-1,48%)
     
  • OURO

    1.816,00
    +31,70 (+1,78%)
     
  • BTC-USD

    56.830,67
    -565,70 (-0,99%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,07
    +8,65 (+0,59%)
     
  • S&P500

    4.182,06
    +14,47 (+0,35%)
     
  • DOW JONES

    34.402,72
    +172,38 (+0,50%)
     
  • FTSE

    7.076,17
    +36,87 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.637,46
    +219,46 (+0,77%)
     
  • NIKKEI

    29.331,37
    +518,77 (+1,80%)
     
  • NASDAQ

    13.570,75
    +79,75 (+0,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3729
    -0,0540 (-0,84%)
     

Nvidia apresenta processador focado em veículos autônomos

Felipe Demartini
·2 minuto de leitura

A Nvidia apresentou nesta terça-feira (13) uma nova geração de processadores voltados para o mercado de carros autônomos, com foco em veículos que devem ser lançados a partir de 2025. A plataforma DRIVE Atlan traz arquitetura ARM e uma GPU dedicada, funcionando juntas para rodar sistemas de deep learning e visão computacional que são essenciais para os modelos que se dirigem sozinhos. A promessa é de um componente que entrega performance semelhante à de um data center.

Esse desempenho se traduz em números, com a plataforma sendo capaz de realizar mais de mil trilhões de operações por segundo, de acordo com a divulgação oficial. O objetivo é entregar um sistema que seja facilmente programável com todas as suas funções e, principalmente, fácil de se atualizar continuamente, entregando também a segurança necessária para a aplicação de updates a partir de conexões cabeadas ou redes sem fio.

Um dos destaques da solução é a unidade de processamento de dados BlueField, que concentra serviços de rede e armazenamento para lidar com as cargas de trabalho complexas necessárias durante o funcionamento autônomo, como os sistemas de reconhecimento e inteligência artificial. É lá, também, que estão as medidas de segurança necessárias para evitar manipulação e comprometimento, impedindo ataques cibernéticos.

De acordo com a Nvidia, o desenvolvimento do DRIVE Atlan é um investimento no futuro, uma vez que a produção de software é cara e complexa demais para ser repetida a cada novo veículo. Com o chip e os ecossistemas que o acompanham, bem como a arquitetura compatível com as próximas gerações, o objetivo da fabricante é estar na vanguarda das tecnologias de direção autônoma.

Além disso, segundo a Nvidia, o DRIVE Atlan é uma evolução de plataformas que já funcionam, hoje, em veículos com alta tecnologia embarcada. É o caso de soluções como Xavier e Orin, que já estão no interior de caminhões e carros em funcionamento ou com lançamentos marcados a partir de 2022, com a empresa, também, se aproveitando dessa experiência para levar adiante os desenvolvimentos relacionados à direção autônoma.

A empresa também fala de forma rápida na América Latina, indicando que os avanços tecnológicos proporcionados pela plataforma também devem criar oportunidades por aqui. O foco inicial está no setor de transporte, considerado um dos que mais devem se beneficiar com a ascensão das tecnologias de pilotagem automática no transporte de cargas, por exemplo.

A empresa não poupou elogios sobre sua própria solução, a chamando de “maravilha técnica” e citando o componente como um data center sobre rodas, rodando no coração dos veículos e reunindo todos os pontos fortes das pesquisas da Nvidia em automação, segurança, processamento, inteligência artificial, robótica e data centers. Além de permitir o avanço das tecnologias ainda em desenvolvimento, o objetivo é garantir eficiência quando tais sistemas efetivamente chegarem ao mercado.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: