Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.487,88
    +1.482,66 (+1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.518,30
    +228,39 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    112,70
    +0,49 (+0,44%)
     
  • OURO

    1.845,10
    +3,90 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    29.178,88
    -1.089,96 (-3,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    650,34
    -23,03 (-3,42%)
     
  • S&P500

    3.901,36
    +0,57 (+0,01%)
     
  • DOW JONES

    31.261,90
    +8,77 (+0,03%)
     
  • FTSE

    7.389,98
    +87,24 (+1,19%)
     
  • HANG SENG

    20.717,24
    +596,56 (+2,96%)
     
  • NIKKEI

    26.739,03
    +336,19 (+1,27%)
     
  • NASDAQ

    11.838,00
    -40,25 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1528
    -0,0660 (-1,26%)
     

Nuvem de cinzas de vulcão em Tonga é vista do espaço; veja foto tirada na ISS

·2 min de leitura

A densa nuvem de cinzas da erupção do vulcão submarino em Tonga, no Pacífico Sul, foi registrada pelos astronautas a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS). A sequência de imagens revela a escura nuvem de cinzas liberadas pela atividade vulcânica, que alcançou uma altitude de 39 km.

No momento da erupção, diversos satélites sobrevoavam a ilha polinésia de Tonga e registraram esta que já considerada a maior explosão vulcânica dos últimos tempos. Enquanto isso, a 400 km de altitude os astronautas a bordo da ISS também observaram a extensão das nuvens de cinza.

Uma sequência de quatro fotos foram feitas pela astronauta da NASA, Kayla Barron, no dia 16 de janeiro — um dia após a erupção. A ISS sobrevoava a Nova Zelândia, localizada a aproximadamente 2.000 km ao sul do vulcão em Tonga. Nas imagens, o céu aparece bem escuro pela densa nuvem de cinzas vulcânicas.

O vulcão Hunga Tonga-Hunga Haʻapai já apresentava um crescimento em suas atividades nas semanas anteriores, até que, em 15 de janeiro, a erupção chamou a atenção do mundo. Não apenas por sua intensidade, como também pelos efeitos colaterais do evento, como tsunamis que atingiram partes da América do Sul e EUA.

A empresa operadora de satélites MAXAR compartilhou imagens da principal ilha do Reino de Tonga, a Tongatapu, onde é possível comparar a devastação da erupção. As equipes locais seguem trabalhando para avaliar a extensão dos danos causados.

Por enquanto, os alertas de tsunamis estão suspensos, mas vulcanologistas alegam que o vulcão submarino, ainda em atividade, pode entrar em erupção novamente nas próximas semanas — o que também poderia provocar outro maremoto.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos