Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.496,21
    -2.316,66 (-2,04%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.463,26
    -266,54 (-0,55%)
     
  • PETROLEO CRU

    90,02
    -0,48 (-0,53%)
     
  • OURO

    1.761,00
    -10,20 (-0,58%)
     
  • BTC-USD

    21.304,37
    -2.090,10 (-8,93%)
     
  • CMC Crypto 200

    506,62
    -34,99 (-6,46%)
     
  • S&P500

    4.228,48
    -55,26 (-1,29%)
     
  • DOW JONES

    33.706,74
    -292,30 (-0,86%)
     
  • FTSE

    7.550,37
    +8,52 (+0,11%)
     
  • HANG SENG

    19.773,03
    +9,12 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    28.930,33
    -11,77 (-0,04%)
     
  • NASDAQ

    13.255,00
    -268,25 (-1,98%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1897
    -0,0241 (-0,46%)
     

Número de endividados bate recorde e alcança 74,6% das famílias

·2 min de leitura
Calculate how much cost or spending have with credit cards.
Pesquisa foi divulgada nesta quinta-feira (4) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC)

(Getty Images)

  • Número de endividados sobe pela 11ª vez e alcança 12,2 milhões de pessoas

  • Apesar da alta de 0,6 ponto percentual comparado a setembro, o ritmo de endividamento caiu

  • Principal vilão é o cartão de crédito, que atinge 84,9% dos inadimplentes

O número de endividados bateu recorde em outubro e já alcança 74,6% das famílias. Ao todo, são 12,2 milhões de pessoas inadimplentes; em comparação com setembro, houve uma alta de 0,6 ponto percentual.

As informações foram divulgadas nesta quinta-feira (4) na Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Leia também:

Apesar da alta, que corresponde à 11ª vez que o número sobe de mês para mês, o ritmo de endividamento diminuiu, já que as médias anteriores eram de 1,5 ponto, frente ao 0,6 atual. Segundo a CNC, o aumento nos juros reduziu a contratação de dívidas em outubro.

Com relação ao mesmo período no ano passado, o aumento foi de 8,1 pontos, fazendo com que esse fosse o segundo maior crescimento anual da série histórica.

O principal vilão das dívidas segue sendo o cartão de crédito. Atualmente, 84,9% dos inadimplentes têm compromissos com a forma de pagamento. Em relação a outubro de 2020, o cartão avançou 6,4 pontos no endividamento.

Ainda assim, o presidente da CNC, José Roberto Tadros, classifica como “impressionante” o relativo controle da taxa de inadimplência, tendo em vista o atual cenário econômico do Brasil.

"A inflação corrente elevada e disseminada tem deteriorado os orçamentos domésticos e diminuído o poder de compra das famílias, em especial as na faixa de menor renda. Os números demonstram os esforços em manter os compromissos financeiros em dia, com renegociação e melhor controle dos gastos”.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos