Mercado fechará em 1 h 8 min
  • BOVESPA

    109.354,99
    +1.976,07 (+1,84%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.713,99
    +446,79 (+1,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,99
    +1,93 (+4,48%)
     
  • OURO

    1.801,50
    -36,30 (-1,98%)
     
  • BTC-USD

    19.196,60
    +744,64 (+4,04%)
     
  • CMC Crypto 200

    381,10
    +11,35 (+3,07%)
     
  • S&P500

    3.632,63
    +55,04 (+1,54%)
     
  • DOW JONES

    30.071,20
    +479,93 (+1,62%)
     
  • FTSE

    6.432,17
    +98,33 (+1,55%)
     
  • HANG SENG

    26.588,20
    +102,00 (+0,39%)
     
  • NIKKEI

    26.165,59
    +638,22 (+2,50%)
     
  • NASDAQ

    12.037,75
    +132,50 (+1,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4058
    -0,0345 (-0,54%)
     

Número de brasileiros que tomariam vacina contra coronavírus é menor entre os que aprovam Bolsonaro

Anita Efraim
·2 minuto de leitura
Brazil's President Jair Bolsonaro rubs his mouth during a ceremony to commemorate Public Servant Day, at the Planalto Presidential Palace in Brasilia, Brazil, Wednesday, Oct. 28, 2020. (AP Photo/Eraldo Peres)
Presidente Bolsonaro se recusou a comprar a vacina produzida pelo laboratório chinês SinoVac, desenvolvido em parceria com o Butantan (Foto: AP Photo/Eraldo Peres)

Um levantamento feito pelo PoderData, do portal Poder 360, mostra que o índice de brasileiros que tomariam a vacina contra o coronavírus é menor entre aqueles que avaliam o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) como bom ou ótimo.

Foram feitas duas perguntas aos participantes: como avaliam o governo e qual a percepção entre a vacina contra o coronavírus. Entre os que consideram o governo ótimo ou bom, 47% disseram que tomariam a vacina.

Entre os entrevistados que avaliam o presidente como regular, 76% com certeza aceitariam a imunização. Já 71% que avaliam Bolsonaro como ruim ou péssimo com certeza tomariam a vacina.

Para os brasileiros que não tomariam a vacina, 33% avaliam o presidente como bom ou ótimo, 11% como regular e 17% como ruim ou péssimo.

Entre aqueles que estão indecisos em relação a tomar ou não a vacina contra a Covid-19, 20% consideram o presidente ótimo ou bom, 13% avaliam como regular e 11% ruim ou péssimo.

Leia também

Além disso, o levantamento também mostra que caiu o número de brasileiros que tomariam a vacina com certeza. Em julho, esse índice era de 85%, enquanto em agosto era de 82. Em outubro, chegou a 63%.

Por outro lado, subiu o número daqueles que não se imunizariam de forma nenhuma: em julho eram 8%, em agosto 7% e, em outubro, o índice está em 22%.

Jair Bolsonaro tem se pronunciado contra a obrigatoriedade da vacina contra o coronavírus, quando houver uma imunização comprovadamente eficaz. Além disso, o presidente vetou a compra da imunização desenvolvida pelo laboratório chinês SinoVac, desenvolvido em parceria com o Butantan.

A pesquisa foi realizada entre os dias 26 e 28 de outubro por meio de ligações telefônicas. Ao todo, foram 2,5 mil entrevistas em 488 municípios em todos os estados brasileiros. A margem de erro é de 2 pontos percentuais.