Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.764,26
    +3.046,32 (+2,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.853,37
    +392,82 (+0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,88
    -2,46 (-2,61%)
     
  • OURO

    1.818,90
    +11,70 (+0,65%)
     
  • BTC-USD

    24.361,61
    +521,08 (+2,19%)
     
  • CMC Crypto 200

    574,64
    +3,36 (+0,59%)
     
  • S&P500

    4.280,15
    +72,88 (+1,73%)
     
  • DOW JONES

    33.761,05
    +424,38 (+1,27%)
     
  • FTSE

    7.500,89
    +34,98 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    20.175,62
    +93,19 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    28.546,98
    +727,65 (+2,62%)
     
  • NASDAQ

    13.580,00
    +268,75 (+2,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2024
    -0,1213 (-2,28%)
     

‘Nudes’ vazados nas redes sociais serão excluídos mais facilmente

·2 min de leitura
Meta
Iniciativa é global e fruto de uma parceria entre a empresa e uma organização sem fins lucrativos do Reino Unido

(Getty Images)

  • Meta cria ferramenta para remover fotos íntimas compartilhadas sem consentimento

  • Trata-se da StopNCII, aberto a usuários maiores de 18 anos

  • Com o recurso, as vítimas não precisarão enviar o material a times ou pessoas, sendo possível resolver do próprio celular

A Meta, antigo Facebook, está trazendo uma ferramenta para remover, de sua plataforma, imagens explícitas compartilhadas sem consentimento. Os casos, muitas vezes, estão relacionados à famosa “pornografia de vingança”.

Leia também:

O que é o StopNCII

Chamado de StopNCII, o sistema será aberto aos usuários maiores de 18 anos em todo o mundo que acreditam que fotos suas sem roupa possam estar rodando as redes sociais da Meta. Eles terão como criar hashes – ou seja, identificadores exclusivos – diretamente de seus celulares, sem precisar enviar o material a qualquer time ou pessoa.

“Quando a gente identifica uma foto ou um vídeo, por exemplo, a gente cria o que chamamos de hash, que é uma digital única para esse material, uma sequência numérica, como se fosse um DNA”, explicou Daniele Kleiner, gerente de Políticas Públicas para Bem-estar e Segurança da Meta, em entrevista à Glamour.

A gerente disse que, por meio da ferramenta, o usuário “não precisa mais fazer o upload desse conteúdo para que um time treinado gerasse a rash. Agora, a rash é criada no próprio aparelho celular ou computador da vítima – e sem que ninguém mais tenha acesso ao material”.

Após a decodificação, o material é deletado dos servidores da Meta e não é mais possível fazer a divulgação do conteúdo.

A iniciativa é fruto de uma parceria entre a empresa e uma organização sem fins lucrativos do Reino Unido. A ferramenta será operada pela UK Revenge Porn Helpline.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos