Mercado fechará em 1 h 13 min
  • BOVESPA

    110.627,06
    -282,55 (-0,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.516,35
    +342,29 (+0,68%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,32
    +2,12 (+2,71%)
     
  • OURO

    1.765,40
    +1,70 (+0,10%)
     
  • BTC-USD

    16.798,45
    +411,05 (+2,51%)
     
  • CMC Crypto 200

    398,68
    -2,01 (-0,50%)
     
  • S&P500

    3.944,42
    -13,21 (-0,33%)
     
  • DOW JONES

    33.628,71
    -223,82 (-0,66%)
     
  • FTSE

    7.573,05
    +61,05 (+0,81%)
     
  • HANG SENG

    18.597,23
    +392,55 (+2,16%)
     
  • NIKKEI

    27.968,99
    -58,85 (-0,21%)
     
  • NASDAQ

    11.505,75
    -19,00 (-0,16%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4231
    -0,0335 (-0,61%)
     

Nubank reverte prejuízo e lucra R$ 41,3 milhões no 3º trimestre

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Nubank reportou lucro líquido de US$ 7,8 milhões (R$ 41,3 milhões) no terceiro trimestre de 2022, revertendo o prejuízo de US$ 34,5 milhões (R$ 182,8 milhões) em igual período do ano anterior, segundo balanço de resultados divulgado nesta segunda-feira (14).

De acordo com o Nubank, com os números alcançados de julho a setembro, a empresa alcançou o ponto de equilíbrio da operação entre despesas e receitas, considerada a holding como um todo, fenômeno conhecido no mercado como "break even".

Segundo a fintech, o resultado reflete o crescimento contínuo do número de clientes ativos e o aumento de seu engajamento, com impacto na expansão da receita, aliado à elevação da margem bruta [rentabilidade da operação] e à maior diluição de custos.

O Nubank atingiu ao final de setembro a marca de 70,4 milhões de clientes, um aumento de 46% na comparação anual.

No Brasil, a base de clientes da fintech alcançou 66,9 milhões, alta de 41% na comparação anual, com destaque para o número de clientes formado por PMES (pequenas e médias empresas), que foi de 1,2 milhão em setembro de 2021 para 2,3 milhões em setembro deste ano, aumento de 114%.

O portfólio sujeito a ganho de juros, composto pelas operações de crédito pessoal e cartões de crédito, atingiu US$ 3,5 bilhões (R$ 18,5 bilhões) no fim do terceiro trimestre, um aumento de 145% (sem considerar os efeitos cambiais) em comparação ao mesmo período de 2021.

Esse crescimento reflete principalmente a evolução do crédito pessoal, que aumentou 111% na comparação anual, atingindo US$ 1,9 bilhão (R$ 10,1 bilhões).

Já a inadimplência acima de 90 dias aumentou para 4,7%, contra 3,2% no terceiro trimestre do ano passado e 4,1% em junho deste ano.

"Embora tenhamos um aumento da inadimplência no trimestre, consistente com tendências de mercado, nossas margens ajustadas ao risco [colchão para absorção de perdas] subiram 100 pontos base, o que mostra que estamos conseguindo precificar o risco corretamente. O Nu está bem capitalizado e pronto para gerar crescimento em escala no longo prazo", disse David Vélez, fundador e CEO do Nubank em nota.

A receita média por cliente ativo (ARPAC na sigla em inglês) aumentou para US$ 7,9, um crescimento de 61% em bases anuais, refletindo uma consolidação da base, com aumento do engajamento e lançamento de produtos.

Cartões de crédito, NuConta e crédito pessoal, os três principais produtos da empresa, alcançaram aproximadamente 32 milhões, 50 milhões e 5 milhões de clientes ativos, respectivamente.

Já o seguro, produto lançado no ano passado, superou a marca de 850 mil apólices ativas, enquanto a NuInvest, plataforma de investimentos direta ao consumidor, totalizou mais de 6 milhões de clientes ativos e a NuCripto, destinada à negociação de criptomoedas, alcançou 1,3 milhão de clientes desde seu lançamento, em julho de 2022.