Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.716,00
    -2.354,00 (-2,06%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.395,94
    -928,96 (-2,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,43
    -4,06 (-4,86%)
     
  • OURO

    1.651,70
    -29,40 (-1,75%)
     
  • BTC-USD

    18.985,48
    -96,42 (-0,51%)
     
  • CMC Crypto 200

    434,61
    -9,92 (-2,23%)
     
  • S&P500

    3.693,23
    -64,76 (-1,72%)
     
  • DOW JONES

    29.590,41
    -486,29 (-1,62%)
     
  • FTSE

    7.018,60
    -140,92 (-1,97%)
     
  • HANG SENG

    17.933,27
    -214,63 (-1,18%)
     
  • NIKKEI

    27.153,83
    -159,27 (-0,58%)
     
  • NASDAQ

    11.388,00
    -177,50 (-1,53%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0976
    +0,0649 (+1,29%)
     

Nubank reduz valor da ação em 20% e passa a valer R$ 218 bilhões

·2 min de leitura
O banco digital brasileiro Nu Holdings reduziu a faixa de preço alvo para sua flutuação no mercado de ações dos EUA em cerca de 18% na terça-feira (30). (REUTERS/Paulo Whitaker) (REUTERS)
  • Nubank reduziu o valor da ação para entrada no mercado em 20%

  • Mesmo com o valor mais baixo, o banco ainda vale R$ 218 bilhões

  • Banco foi fundado em 2013 e tem mais de R$ 48 milhões de clientes

O banco digital brasileiro Nu Holdings reduziu a faixa de preço alvo para sua flutuação no mercado de ações dos EUA em cerca de 18% na terça-feira (30), como uma recente venda global de ações de tecnologia pesa sobre as ofertas públicas iniciais de fim de ano.

Leia também

A empresa, conhecida como Nubank, havia anteriormente almejado uma avaliação de IPO de mais de US$ 50 bilhões (R$ 280 bilhões) por trás de um boom recorde nos mercados de capitais dos EUA.

Afiliados da Sequoia Capital, Tiger Global Management, SoftBank Latin America Funds, Dragoneer Investments, TCV, Sands Capital, Morgan Stanley e JPMorgan devem ancorar o IPO e comprar ações no valor de pelo menos US$ 1,3 bilhão (R$ 7,28 bilhões), disse Nubank.

Apoiada pela Berkshire Hathaway de Warren Buffett, a empresa havia planejado anteriormente levantar quase US$ 3 bilhões (R$ 16,81 bilhões) com a venda de ações com preços entre US$ 10 (R$ 56) e US$ 11 (R$ 61) cada. A faixa indicativa foi reduzida em 20% para de US$ 8 (R$ 44) a US$ 9 (R$ 50). No ponto médio da nova faixa, o Nubank iria para a Nasdaq valendo US$ 39 bilhões (R$ 218 bilhões).

Mesmo com a avaliação alvo reduzida, o Nubank valeria mais do que o maior credor tradicional do Brasil, o Itaú Unibanco, que tem uma capitalização de mercado de US$ 37,5 bilhões (R$ 210 bilhões).

Banco possui mais de 48 milhões de clientes

O float planejado do banco digital para o mercado de ações vem na esteira de vários grandes IPOs em 2021, incluindo os da Rivian Automative, Didi Global e Coupang Inc e outros pesos pesados ​​da fintech como Robinhood Markets e Coinbase. Os IPOs americanos levantaram um recorde de US$ 275 bilhões (R$ 1,5 trilhão) este ano de investidores, de acordo com dados da Dealogic.

Os investidores, no entanto, temem apoiar as empresas latino-americanas de fintech com modelos de negócios questionáveis, depois que a empresa de pagamentos brasileira StoneCo registrou pesadas perdas em seus resultados trimestrais mais recentes. As ações da StoneCo caíram mais de 80% este ano.

O Nubank foi fundado em 2013 por David Velez, o colombiano que estudou em Stanford, como um emissor de cartões de crédito que cobrava a taxa anual. Desde então, o banco conquistou mais de 48 milhões de clientes e lançou produtos, incluindo contas correntes e empréstimos.

O Nubank ganha dinheiro principalmente por meio de taxas pagas pelos comerciantes sempre que um cliente faz uma transação. A empresa disse no mês passado que conseguiu lucrar no primeiro semestre de 2021 em suas operações no Brasil. Morgan Stanley, Goldman Sachs, Citigroup e NuInvest são os principais subscritores da oferta do Nubank.