Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.910,10
    -701,55 (-0,62%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.661,86
    +195,84 (+0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,29
    +0,68 (+0,79%)
     
  • OURO

    1.792,30
    -2,70 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    37.673,52
    +962,70 (+2,62%)
     
  • CMC Crypto 200

    863,83
    +21,37 (+2,54%)
     
  • S&P500

    4.431,85
    +105,34 (+2,43%)
     
  • DOW JONES

    34.725,47
    +564,69 (+1,65%)
     
  • FTSE

    7.466,07
    -88,24 (-1,17%)
     
  • HANG SENG

    23.550,08
    -256,92 (-1,08%)
     
  • NIKKEI

    26.717,34
    +547,04 (+2,09%)
     
  • NASDAQ

    14.430,25
    +443,50 (+3,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9813
    -0,0427 (-0,71%)
     

Nubank, Loggi e mais: veja 10 maiores aportes em startups brasileiras de 2021

·3 min de leitura

O ano foi bom para o Nubank. A maior fintech brasileira não apenas emplacou o maior aporte de investimento do país em 2021 como também apareceu duas vezes no top 10, ocupando também o terceiro lugar. Em junho, o banco digital obteve imensos US$ 750 milhões (R$ 4,2 bilhões) em rodada do tipo série G. Fundos como Berkshire Hathaway (do bilionário Warren Bufffet), Sands Capital, Verde Asset e Absoluto Partners colaboraram com a bolada.

Em segundo lugar está a startup de imóveis Loft, que em março obteve US$ 425 milhões (R$ 2,3 bilhões) em rodada série D liderada pela D1 Capital, com participação do Soros Fund Management, de George Soros.

A terceira posição veio novamente da Nubank. Em janeiro, abocanhou US$ 400 milhões (R$ 2,2 bilhões) em série G com contribuições de GIC, Tencent, Dragoneer Investment Group, Ribbit Capital, Sequoia Capital e Whale Rock.

A quarta colocação foi da série C da fintech Ebanx em junho, que recebeu numa rodada de investimentos o valor de US$ 430 milhões (R$ 2,4 bilhões) da Advent International. E por que ela não está em terceiro? É que desse valor, "apenas" US$ 400 milhões foram para a startup. Os outros US$ 30 milhões (R$ 168 milhões) serão usados como verba de apoio no futuro IPO (abertura de ações na Bolsa) da companhia, que ocorrerá nos Estados Unidos.

O quinto lugar é da proptech Quinto Andar. Sua rodada do tipo série E, em maio, levantou US$ 300 milhões (R$ 1,6 bilhão). A rodada foi liderada pelo Rabbit Capital e teve a participação de SoftBank Latin America Fund, LTS, Maverick, Alta Park, Dragoneer, Qualcomm e Kaszek Ventures.

<span>Loggi</span> recebeu aporte de US$ 212 milhões (Imagem: Divulgação/Loggi)
Loggi recebeu aporte de US$ 212 milhões (Imagem: Divulgação/Loggi)

O restante do top 10 foi ocupado respectivamente pela aceleradora de marcas de e-commerce Merama, pela empresa de bem estar Gympass, pela startup de logística Loggi, pela fintech de criptoativos Mercado Bitcoin e pela CargoX, também de logística (veja detalhes abaixo).

Segundo o relatório mensal Inside Venture Capital, produzido pela Distrito, em 2021 houve no Brasil US$ 8,85 bilhões (R$ bilhões) em aportes, em um total de 677 rodadas. “Um dos destaques de 2021 foi o número de startups que tiveram megarounds de investimentos. Tivemos rodadas muito grandes que alavancaram o total do ano, já três vezes maior que o de 2020. Isso acontece porque as empresas ficaram mais maduras, com consumo de capital maior e mais investimentos em tecnologias”, disse ao R7 Gustavo Araujo, CEO e cofundador do Distrito.

Top 10 de aportes de 2021 no Brasil

  1. Nubank: US$ 750 milhões (R$ 4,2 bilhões). Investidores: Berkshire Hathaway, Sands Capital, Verde Asset e Absoluto Partners;

  2. Loft: US$ 425 milhões (R$ 2,3 bilhões). Investidores: D1 Capital e Soros Fund Management;

  3. Nubank: US$ 400 milhões (R$ 2,2 bilhões). Investidores: GIC, Tencent, Dragoneer Investment Group, Ribbit Capital, Sequoia Capital e Whale Rock;

  4. Ebanx: US$ 400 milhões (R$ 2,2 bilhões). Investidores: Advent International (com outros US$ 30 milhões reservados para investimento futuro);

  5. Quinto Andar: US$ 300 milhões (R$ 1,6 bilhão). Investidores: Rabbit Capital, SoftBank Latin America Fund, LTS, Maverick, Alta Park, Dragoneer, Qualcomm e Kaszek Ventures;

  6. Merama: US$ 225 milhões (R$ 1,3 bilhão). Investidores: Softbank, Advent International, Globo Ventures, Monashees, Valor Capital, Balderton Capital e MAYA Capital;

  7. Gympass: US$ 220 milhões (R$ 1,2 bilhão). Investidores: Softbank Group, General Atlantic, Moore Strategic Ventures, Kaszek e Valor Capital Group;

  8. Loggi: US$ 212 milhões (R$ 1,2 bilhão). Investidores: CapSur Capital, Fundo Verde, Monashees, Softbank, GGV, Microsoft e Sunley House;

  9. Mercado Bitcoin: US$ 200 milhões (R$ 1,1 bilhão). Investidores: Softbank;

  10. CargoX: US$ 200 milhões (R$ 1,1 bilhão). Investidores: Softbank, Tencent, bancos BID Invest, BTG Pactual, LightRock, Reinvent Capital e Valor Capital Group.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos