Mercado fechará em 1 h 32 min
  • BOVESPA

    116.749,87
    +285,80 (+0,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.142,50
    -911,06 (-2,02%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,22
    +0,61 (+1,16%)
     
  • OURO

    1.844,60
    -6,30 (-0,34%)
     
  • BTC-USD

    30.628,89
    -936,08 (-2,97%)
     
  • CMC Crypto 200

    619,55
    -20,37 (-3,18%)
     
  • S&P500

    3.791,10
    -58,52 (-1,52%)
     
  • DOW JONES

    30.596,13
    -340,91 (-1,10%)
     
  • FTSE

    6.567,37
    -86,64 (-1,30%)
     
  • HANG SENG

    29.297,53
    -93,73 (-0,32%)
     
  • NIKKEI

    28.635,21
    +89,03 (+0,31%)
     
  • NASDAQ

    13.291,00
    -194,50 (-1,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5327
    +0,0219 (+0,34%)
     

Nubank lança proposta para definições técnicas de autorregulação do open banking

Por Marcela Ayres
·2 minuto de leitura

Por Marcela Ayres

BRASÍLIA (Reuters) - O Nubank lança nesta segunda-feira uma proposta com definições técnicas para a autorregulação do open banking no país, para processos como autorização de acesso a dados, protocolos de segurança para protegê-los e comunicação entre as instituições financeiras.

A proposta vem em meio a receios entre fintechs de que bancos tradicionais consigam impor medidas restritivas ao open banking durante o processo de autorregulação, conforme apurou a Reuters com uma fonte do setor.

"É importante que, nesta fase de autorregulação, todas as empresas e associações entendam que as definições técnicas é que vão determinar o grau de sucesso do open banking no Brasil", afirmou a cofundadora do Nubank, Cristina Junqueira.

O BC previu que o mecanismo de governança do open banking será de "autorregulação assistida", mas que a autoridade monetária poderá regular o tema caso entenda necessário.

O open banking é um sistema que dará aos clientes de instituições financeiras o poder sobre seus dados cadastrais e de transações, como meio de abrir o acesso a serviços mais baratos e melhores. A previsão do Banco Central é que ele seja implementado em fases, sendo a primeira em 30 de novembro.

Para garantia da segurança, a proposta do Nubank diz que mecanismos concebidos desde o início são preferíveis a uma construção que seja plugada depois no sistema.

O Nubank defende ainda que os clientes, e não os bancos, tenham controle sobre os dados, com a criação de um arcabouço que torne fácil a autorização ou revogação de permissão de acesso.

Para a eficiência da operação, o Nubank também propôs que o padrão de comunicação entre as instituições seja desenhado de maneira a ter baixo custo computacional na troca de mensagens entre as instituições.

Na visão do Nubank, que hoje tem 25 milhões de clientes no país, é isso que garantirá a competição ao não promover a geração de novos custos, incentivando a entrada de participantes no sistema.