Nubank entra em crédito consignado, com foco inicial em servidores federais

SÃO PAULO (Reuters) - O Nubank anunciou nesta terça-feira sua entrada na modalidade de crédito consignado, testando inicialmente apenas oferta para servidores públicos federais, em movimento que ocorre em meio à suspensão por diversos bancos de outra modalidade de consignado, a do INSS, após novo limite de juros imposto pelo governo.

O novo produto já está disponível para uma parcela dos servidores federais que são clientes do Nubank. "Ao longo do semestre, pretendemos ampliar a oferta do NuConsignado gradualmente para a totalidade dos servidores públicos federais que já sejam clientes do Nubank", afirmou o banco digital em comunicado.

O Nubank disse que essa escolha inicial dos clientes disponíveis é aleatória e não respondeu quantas pessoas esse grupo engloba.

A instituição afirmou que, por enquanto, a oferta do crédito consignado ainda está em fase de testes, que agora foram ampliados. Esses testes incluem, além da contratação da linha, questões como navegabilidade, experiência de uso e integração de sistemas de terceiros, de acordo com o Nubank.

Questionado, o banco digital não revelou quais serão os juros cobrados no consignado, dizendo apenas que "o Nubank irá praticar taxas variadas de acordo com o perfil do cliente e os resultados do período de teste". Os usuários que têm o serviço disponível podem contratar a modalidade sem intermediários, os chamados "pastinhas", e diretamente pelo aplicativo, disse.

A já esperada entrada do Nubank no consignado vem depois que, na semana passada, bancos estatais e privados, como Banco do Brasil, Caixa, Itaú Unibanco e Pan suspenderam novas operações de empréstimo consignado a beneficiários do INSS. As ações ocorreram após a redução no limite de juros nessa modalidade pelo Conselho Nacional da Previdência Social (CNPQ).

O CNPQ definiu há pouco mais de uma semana o novo limite em 1,70% por mês, uma diminuição de 0,44 ponto percentual no índice autorizado para instituições financeiras realizarem essas operações.

O Nubank afirmou que acompanha as discussões sobre o consignado do INSS e avalia alternativas. A instituição disse que já obteve a autorização para operar a modalidade, mas que sua oferta é uma alternativa "que merece uma análise profunda e cautelosa para garantir que o Nubank siga oferecendo serviços inovadores e disjuntivos".

(Por André Romani)