Mercado abrirá em 4 h 54 min
  • BOVESPA

    98.672,26
    +591,96 (+0,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.741,50
    +1.083,60 (+2,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    107,95
    +0,33 (+0,31%)
     
  • OURO

    1.837,90
    +7,60 (+0,42%)
     
  • BTC-USD

    21.374,40
    -31,76 (-0,15%)
     
  • CMC Crypto 200

    465,70
    +11,80 (+2,60%)
     
  • S&P500

    3.911,74
    +116,01 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    31.500,68
    +823,28 (+2,68%)
     
  • FTSE

    7.271,69
    +62,88 (+0,87%)
     
  • HANG SENG

    22.225,21
    +506,15 (+2,33%)
     
  • NIKKEI

    26.871,27
    +379,30 (+1,43%)
     
  • NASDAQ

    12.238,50
    +98,00 (+0,81%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5367
    -0,0157 (-0,28%)
     

Nubank devolve R$ 6,3 mil para estudante após acusações de descaso

No último fim de semana de maio, um relato da estudante de odontologia Thamires Norbeto viralizou no Twitter. Na thread na rede social, a usuária detalhou como, após ter seu celular furtado, suas contas bancárias foram saqueadas por criminosos. Ela também destacou problemas encontrados ao tentar acionar a fintech Nubank, que não teria cooperado para recuperação de parte do prejuízo superior a R$ 7 mil.

A situação ocorreu no sábado (28). Em seguida, no domingo (29), Thamires tentou entrar em contato com as plataformas que tiveram valores saqueados pelos criminosos, na tentativa de reaver as quantias. Além do Nubank, os fraudadores roubaram cerca de R$ 610 de sua conta no Mercado Pago.

Segundo o relato da internauta, o período entre a data do roubo até esta última terça (31) foi complicado pelo fato de as instituições terem exigido diversas vezes que ela repetisse o ocorrido, mesmo com ela trocando vários e-mails para comprovar a situação — de acordo com Thamires, o Nubank só respondia por meio de mensagens automatizadas.

Porém, após o ocorrido ganhar tração na rede social, e portais de notícias terem começado a relatar o crime, as empresas começaram a auxiliar Thamires. O Nubank telefonou para a usuária nesta terça, afirmando que devolveriam os R$ 6,9 mil roubados de sua conta.

Já os R$ 610 do Mercado Pago, também citado por Thamires como uma plataforma que não auxiliou no caso, além de não fornecer segurança em seu aplicativo para evitar a movimentação de fundos como em situações de roubo, ainda não foram devolvidos.

O Canaltech entrou em contato com ambas as empresas pedindo posicionamentos sobre o caso. O Mercado Pago nos retornou o seguinte comunicado:

O Mercado Pago retornou o contato com a usuária e solucionou o problema dela. A empresa informa que, assim que tomou conhecimento do caso, entrou em contato com ela por telefone sinalizando que estava dando início às tratativas. Feito isso, iniciou a análise sobre o que ocorreu entre as instituições financeiras envolvidas no fluxo.

A fintech reforça que, em caso de roubo, furto ou perda do celular, recomenda a imediata troca da senha de acesso da conta, que pode ser feita pelo site, bem como o contato com a operadora telefônica para bloqueio do aparelho e chip. O Mercado Pago mantém canais de atendimento, dentro e fora do aplicativo, para eventuais dúvidas e orientações: site (www.mercadopago.com.br/ajuda) ; botão ‘Ajuda/Fale Conosco’ no aplicativo e site, para contato por chat ou e-mail; ou ainda pelo telefone (0800 637 7246).

Já o Nubank nos mandou o seguinte comunicado:

O Nubank informa que segurança é uma prioridade e que possui uma série de mecanismos de proteção, que incluem modelos de inteligência artificial, ferramentas de dados biométricos e uso de geolocalização. A empresa lamenta o ocorrido, destaca que esteve em contato com a cliente desde o fim de semana e que ela foi ressarcida.

Nubank se envolveu em situação parecida no começo de maio

O caso de Thamires é a segunda vez que o Nubank se vê no centro de polêmicas por consequência do furto de celulares de seus clientes, que levaram a movimentação dos fundos guardados na fintech por criminosos.

No começo de maio, Bruno De Paula criou uma thread no Twitter detalhando sua díficil situação após ter tido o celular desbloqueado roubado pela janela de um táxi, com os criminosos realizando empréstimos e movimentações em seu nome através do aplicativo do Nubank.

A fintech estornou os valores para Bruno, mas assim como no caso de Thamires, o internauta afirma que a comunicação do banco digital mudou somente após o relato ter ganhado tração na rede social e em sites de notícias.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos