Mercado fechará em 6 h 46 min
  • BOVESPA

    111.183,95
    0,00 (0,00%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.377,47
    +695,28 (+1,52%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,39
    +0,11 (+0,18%)
     
  • OURO

    1.718,00
    +2,20 (+0,13%)
     
  • BTC-USD

    48.928,17
    -2.626,86 (-5,10%)
     
  • CMC Crypto 200

    983,74
    -3,47 (-0,35%)
     
  • S&P500

    3.819,72
    -50,57 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    31.270,09
    -121,43 (-0,39%)
     
  • FTSE

    6.628,72
    -46,75 (-0,70%)
     
  • HANG SENG

    29.236,79
    -643,63 (-2,15%)
     
  • NIKKEI

    28.930,11
    -628,99 (-2,13%)
     
  • NASDAQ

    12.650,75
    -31,00 (-0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7473
    -0,0314 (-0,46%)
     

Novos surtos colocam em dúvida recuperação de suínos na China

Bloomberg News
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O Ministério de Agricultura da China acredita que, até meados do ano, o país terá recuperado completamente o número de suínos após o impacto da peste suína africana. Novos surtos do vírus e outras doenças letais de suínos ameaçam essa projeção.

O ressurgimento de casos de peste suína nas províncias mais frias do norte levou criadores a abaterem mais porcas reprodutoras antes do Ano Novo Lunar, disse Lin Guofa, analista sênior da consultoria Bric Agriculture. A carne suína é a favorita na China, e o consumo tipicamente dá um salto durante o período festivo.

Outros vírus, como da febre aftosa e da diarreia epidêmica suína, também contribuíram para os surtos agravados por um inverno mais rigoroso do que o normal, disse Lin. “A recuperação dos plantéis de suínos em algumas regiões pode ser atrasada, especialmente em Shandong e partes de Henan e Hebei”, disse.

Com isso, até 15% do plantel nacional de suínos pode ter sido perdido devido a doenças durante o inverno, e a total reabilitação para os níveis antes da peste suína africana é mais provável no segundo semestre de 2022, disse Wang Zhong, consultor-chefe da Systematic, Strategic & Soft Consulting. Foram identificadas novas variantes da peste suína que se mostraram mais difíceis de detectar e de controlar, disse.

Estabilizar a população de suínos e reduzir a volatilidade do mercado têm sido prioridade para autoridades desde 2018, quando a peste suína atingiu o plantel de suínos da China, o maior do mundo. Não há vacina oficialmente aprovada, e a epidemia fez com que o número de suínos caísse quase pela metade, o que levou ao aumento das importações e dos preços da carne de porco.

Os mercados agrícolas globais se tornaram ainda mais voláteis nos últimos meses com a iniciativa do governo de conseguir uma rápida recuperação dos números, o que causou uma enorme escassez de grãos para ração e esvaziou silos em lugares distantes como a América do Norte.

O número de suínos da China correspondia a 90% dos níveis normais até o final de novembro, de acordo com o Ministério da Agricultura. O ministério não respondeu a um fax com pedido de comentários sobre as últimas previsões.

Esforços para acelerar a liberação de carne importada retida em portos e câmaras frigoríficas, cujo volume é estimado em cerca de 1 milhão de toneladas, devem ajudar a segurar os preços da carne suína, disse Lin, da Bric Agriculture. Na segunda-feira, os futuros do suíno vivo na Bolsa de Dalian fecharam na maior cotação desde que o contrato estreou no mês passado.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.