Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.937,87
    +1.057,05 (+0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.371,98
    +152,72 (+0,31%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +0,01 (+0,02%)
     
  • OURO

    1.866,90
    -0,70 (-0,04%)
     
  • BTC-USD

    42.717,82
    -2.998,43 (-6,56%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.195,01
    -2,91 (-0,24%)
     
  • S&P500

    4.163,29
    -10,56 (-0,25%)
     
  • DOW JONES

    34.327,79
    -54,34 (-0,16%)
     
  • FTSE

    7.032,85
    -10,76 (-0,15%)
     
  • HANG SENG

    28.194,09
    +166,52 (+0,59%)
     
  • NIKKEI

    27.824,83
    -259,67 (-0,92%)
     
  • NASDAQ

    13.304,25
    +0,75 (+0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4100
    +0,0060 (+0,09%)
     

Novo voo de teste da Starliner rumo à ISS pode acontecer entre julho e agosto

Danielle Cassita
·3 minuto de leitura

Em março, a NASA comunicou um novo adiamento do Orbital Flight Test (OFT) 2, segundo teste de voo não tripulado com a nave Starliner, da Boeing. Na ocasião, a Boeing informou também que uma nova data de lançamento seria divulgada em breve e, ao que tudo indica, o voo ainda vai levar alguns meses até ser feito. É que, devido à intensa movimentação que irá ocorrer na Estação Espacial Internacional nos próximos meses, o voo deverá acontecer somente no fim de julho ou início de agosto.

O objetivo do teste é lançar a cápsula com um foguete Atlas V e sem tripulação a bordo com destino à ISS, para ficar aproximadamente uma semana acoplada ao laboratório orbital. No comunicado feito no mês passado, a NASA informou que as condições climáticas estavam afetando a preparação da cápsula, mas fontes da agência espacial confirmaram que o veículo está próximo da finalização, e que só vão faltar alguns testes para a certificação necessária para o voo.

Representação de como a Starliner vai ficar quando estiver acoplada à ISS (Imagem: Reprodução/Boeing)
Representação de como a Starliner vai ficar quando estiver acoplada à ISS (Imagem: Reprodução/Boeing)

Além desta questão, ficamos com a disponibilidade da ISS: o laboratório orbital possui portas de acoplagem com uma espécie de “adaptador universal”, que podem ser usadas pelas naves Crew Dragon e Cargo Dragon 2, da SpaceX, e pela Starliner. O problema, contudo, é que existem somente duas dessas por lá, e a NASA prioriza o acesso a elas primeiro para as missões tripuladas para a rotação das tripulações a bordo, e depois para as naves de abastecimento — e é entre essas duas demandas que a Starliner precisa de um cantinho para se acomodar.

Para completar, a ISS deverá ficar agitada em breve: a missão Crew-2, que irá levar quatro astronautas a bordo de uma espaçonave Crew Dragon, será lançada em 22 de abril e ficará acoplada em uma das portas por seis meses. Depois, em junho, uma missão de abastecimento será lançada também pela SpaceX, e irá usar a outra porta. Portanto, não haverá portas de acoplagem disponíveis pelo menos até o fim de julho, que é quando a CRS-22 Dragon deverá voltar para a Terra.

Por isso, o teste de voo da Starliner poderia ser feito na janela de aproximadamente um mês que se abrirá neste período. Por enquanto, a NASA e a Boeing não divulgaram nenhuma data, mas pode ser que o voo aconteça entre o final de julho e o início de agosto para deixar a Starliner acoplada à ISS por cerca de uma semana — contudo, este período pode variar de acordo com as necessidades da ISS. Quando for lançado, este será o segundo teste de voo não tripulado da Starliner, e a análise dos dados poderá levar até seis meses.

A espaçonave Starliner, da Boeing, e a Crew Dragon, da SpaceX, desenvolvidas para levar astronautas à ISS (Imagem: Reprodução/Boeing/SpaceX)
A espaçonave Starliner, da Boeing, e a Crew Dragon, da SpaceX, desenvolvidas para levar astronautas à ISS (Imagem: Reprodução/Boeing/SpaceX)

O primeiro foi uma missão de testes lançada em 2019, que tinha o objetivo de mostrar que a nave estava pronta para transportar astronautas com o programa Commercial Crew Program. A Starliner deveria ter chegado à estação, mas uma falha comprometeu o abastecimento da nave e impediu que chegasse ao seu destino. Depois, foi revelado um erro de software que poderia ter consequências catastróficas. Estes problemas não comprometem a segurança da Starliner, mas a Boeing decidiu realizar um novo voo para acoplar a cápsula à ISS e, assim, atender todos os requisitos exigidos pela NASA.

Segundo uma fonte da agência espacial norte-americana, um voo tripulado poderá ser feito no início de 2022 — mas, claro, isso dependerá dos resultados do novo teste de 2021. Contudo, outro oficial acredita que a cápsula irá voar com astronautas a bordo somente depois que o hardware estiver finalizado. Como a NASA pode contar com a Crew Dragon para seguir na rotação de astronautas na ISS, não há motivos para ter pressa para a realização do primeiro voo tripulado.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: