Mercado fechará em 3 h 38 min
  • BOVESPA

    103.992,21
    +2.076,76 (+2,04%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.333,49
    +634,77 (+1,28%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,22
    +2,04 (+3,08%)
     
  • OURO

    1.791,20
    +14,70 (+0,83%)
     
  • BTC-USD

    58.512,31
    -261,36 (-0,44%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.491,10
    +22,02 (+1,50%)
     
  • S&P500

    4.633,30
    +66,30 (+1,45%)
     
  • DOW JONES

    34.881,79
    +398,07 (+1,15%)
     
  • FTSE

    7.130,99
    +71,54 (+1,01%)
     
  • HANG SENG

    23.658,92
    +183,66 (+0,78%)
     
  • NIKKEI

    27.935,62
    +113,86 (+0,41%)
     
  • NASDAQ

    16.365,50
    +215,00 (+1,33%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3699
    -0,0001 (-0,00%)
     

Novo tratamento previne câncer ao colocar células tumorais "para dormir"

·1 min de leitura

A ciência vem se mostrando bem concentrada em prevenir metástases de câncer (células cancerígenas que se soltam do tumor original, viajam para outras partes do corpo e formam novos tumores), como já relatamos em um estudo que descobriu como manter essas células cancerígenas adormecidas. Nesta terça (23), um estudo publicado na revista Journal of Experimental Medicine apresenta uma abordagem de proposta semelhante, prevenindo o crescimento de tumores.

No novo estudo da Rockefeller University (EUA), os pesquisadores conseguiram forçar as células a um estado dormente, no qual são incapazes de proliferar. O estudo mencionou uma droga chamada C26, que ativa a proteína NR2F1, responsável por controlar a capacidade das células permanecerem dormentes. Basicamente, o tratamento com C26 aumentou os níveis de NR2F1 e interrompeu a proliferação celular.

Novo tratamento previne câncer ao colocar células "para dormir" (Imagem: Khalil et al. 2021)
Novo tratamento previne câncer ao colocar células "para dormir" (Imagem: Khalil et al. 2021)

Os pesquisadores testaram a C26 em camundongos, e apontaram que inicialmente o tratamento reduziu o tamanho dos tumores primários, e as próximas doses bloquearam completamente o crescimento tumoral. Os roedores continham apenas algumas células cancerígenas (incapazes de proliferar mesmo após a interrupção do tratamento). Segundo a equipe, os medicamentos que ativam o NR2F1 podem ser particularmente úteis no combate ao câncer de mama, por exemplo, considerado um dos 10 tipos de câncer mais comuns no Brasil.

“No geral, o estudo revela uma estratégia projetada para explorar a dormência ativada por NR2F1 como uma opção terapêutica para prevenir a metástase”, apontam os pesquisadores.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos