Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.259,49
    -831,51 (-0,64%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.579,10
    -329,10 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,49
    -0,66 (-0,91%)
     
  • OURO

    1.821,20
    -40,20 (-2,16%)
     
  • BTC-USD

    38.674,21
    -1.464,10 (-3,65%)
     
  • CMC Crypto 200

    960,63
    -31,84 (-3,21%)
     
  • S&P500

    4.223,70
    -22,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.033,67
    -265,63 (-0,77%)
     
  • FTSE

    7.184,95
    +12,47 (+0,17%)
     
  • HANG SENG

    28.330,13
    -106,71 (-0,38%)
     
  • NIKKEI

    28.947,57
    -343,44 (-1,17%)
     
  • NASDAQ

    13.904,75
    -76,50 (-0,55%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0757
    +0,0137 (+0,23%)
     

Novo tratamento com estímulos de luz pode recuperar a visão temporariamente

·1 minuto de leitura

A tecnologia tem se mostrado uma grande aliada no que diz respeito a tratamentos para recuperar a visão integral ou parcialmente. E é o caso de um recente estudo feito pela Universidade de Newcastle, no Reino Unido. Uma terapia genética que usa pulsos de luz para controlar a atividade das células nervosas devolveu a um homem de 58 anos a capacidade de reconhecer figuras.

Na ocasião, o homem, que perdeu a visão por conta de uma retinite pigmentosa (doença ocular em que a parede posterior do olho encontra-se danificada) precisou usar um par de óculos estimulantes de luz.

A nova técnica visa restaurar a função visual nos estágios finais da doença, por meio da injeção de um vírus inofensivo modificado para transportar as instruções genéticas para a produção de uma proteína que responde à luz. Essas instruções são inseridas em células específicas do olho, chamadas ganglionares, e contornam as células danificadas, permitindo que a informação visual seja transmitida ao cérebro quando as células modificadas são expostas à luz.

(Imagem: Harry Quan/Unsplash)
(Imagem: Harry Quan/Unsplash)

A luz é fornecida ao olho do paciente por meio de óculos que capturam imagens de tudo ao seu redor e pulsam no comprimento de onda específico ao qual a proteína da terapia genética responde em tempo real, permitindo que o paciente veja.

O avanço marca um passo importante para a optogenética. O estudo, que pode ser acessado gratuitamente, descreve o primeiro paciente a receber esse tratamento. No entanto, outros dois pacientes também já fizeram esse tratamento no Reino Unido.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos