Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.405,35
    +348,13 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.319,57
    +116,77 (+0,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,50
    +0,46 (+0,65%)
     
  • OURO

    1.763,90
    -10,90 (-0,61%)
     
  • BTC-USD

    35.746,33
    -1.828,88 (-4,87%)
     
  • CMC Crypto 200

    888,52
    -51,42 (-5,47%)
     
  • S&P500

    4.166,45
    -55,41 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    33.290,08
    -533,37 (-1,58%)
     
  • FTSE

    7.017,47
    -135,96 (-1,90%)
     
  • HANG SENG

    28.801,27
    +242,68 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    28.964,08
    -54,25 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.103,00
    -62,50 (-0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0361
    +0,0736 (+1,23%)
     

Novo teste pode confirmar se uma pessoa tomou vacina contra COVID-19

·1 minuto de leitura

A vacinação contra a COVID-19 já está acontecendo em vários países do mundo. Por enquanto, quem está vacinado tem, como comprovação, apenas a declaração obtida no ato da imunização. Mas e se um exame de sangue pudesse confirmar se você tomou a vacina contra a COVID-19 ou não? Pois é justamente essa a proposta de um novo estudo da Universidade Johns Hopkins (EUA).

No novo teste de anticorpos, a pessoa espeta o dedo e coloca uma gota de sangue em um cartão. Os resultados aparecem em menos de cinco minutos. Caso aprovado, esse exame de sangue pode ser usado para confirmar a vacinação de uma pessoa, em vez de ter que mostrar um cartão de vacina.

Os pesquisadores testaram 400 amostras de sangue, sendo 200 de pacientes anteriores com COVID-19. O teste identificou corretamente os anticorpos em pacientes previamente infectados em 87,5% das vezes. O teste tem, como base, o grau de aglutinação dos glóbulos vermelhos, para então chegar à concentração de anticorpos.

(Imagem: IciakPhotos/Envato Elements)
(Imagem: IciakPhotos/Envato Elements)

Segundo os pesquisadores, esse novo exame também pode permitir que as pessoas saibam se ainda têm proteção meses após terem recebido a vacina ou se precisam de um reforço, por exemplo. O grau de hemaglutinação também se correlaciona com os níveis de anticorpos neutralizantes em pacientes, que protegem contra a infecção viral. O estudo completo pode ser acessado gratuitamente.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos