Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.451,20
    +74,85 (+0,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.442,21
    +436,10 (+0,97%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,88
    -0,27 (-0,33%)
     
  • OURO

    1.668,70
    -1,30 (-0,08%)
     
  • BTC-USD

    19.606,53
    +635,60 (+3,35%)
     
  • CMC Crypto 200

    447,10
    +18,32 (+4,27%)
     
  • S&P500

    3.719,04
    +71,75 (+1,97%)
     
  • DOW JONES

    29.683,74
    +548,75 (+1,88%)
     
  • FTSE

    7.005,39
    +20,80 (+0,30%)
     
  • HANG SENG

    17.250,88
    -609,43 (-3,41%)
     
  • NIKKEI

    26.173,98
    -397,89 (-1,50%)
     
  • NASDAQ

    11.548,50
    -7,25 (-0,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2326
    +0,0727 (+1,41%)
     

Novo telescópio será 4 vezes mais potente que o James Webb

Novo Telescópio Gigante de Magalhães será ainda mais potente que o James Webb (Photo: Business Wire)
Novo Telescópio Gigante de Magalhães será ainda mais potente que o James Webb (Photo: Business Wire)
  • Ideia é que Gigante de Magalhães seja utilizado para aprofundar pesquisas do Webb;

  • James Webb foi lançado ao espaço no final do ano passado.

  • Gigante de Magalhães será instalado no Chile, no Observatório Las Campanas, no deserto do Atacama;

O Telescópio Gigante de Magalhães (GMT), que deve começar a operar até 2029, promete ser quatro vezes mais potente que o telescópio espacial James Webb, lançado em órbita pela NASA no fim do ano passado.

O espelho do GMT terá cerca de 25 metros de diâmetro, divididos em sete segmentos de 8,4 metros. Segundo os cientistas, sua área de coleta de luz será dez vezes maior que a do James Webb, sendo capaz de proporcionar imagens quatro vezes mais nítidas.

Só que o GMT não será lançado no espaço, como seus colegas James Webb e Hubble, mas sim será instalado em um observatório aqui na Terra, o Observatório Las Campanas, no Deserto do Atacama, no Chile, conhecido por ser um dos melhores pontos para observação estelar do mundo.

O Telescópio Gigante Magalhães será 200 vezes mais poderoso do que os telescópios existentes na superfície do planeta hoje. Espera-se que ele possa ser usado para complementar as pesquisas do James Webb. Com suas lentes de observação mais sensíveis, a ideia é apontá-lo para áreas previamente descobertas pelo Webb, mas com sinais muito fracos para investigação com o telescópio espacial.

O GMT recebeu um novo aporte de US$ 205 milhões para ajudar na sua construção, sendo os principais doadores a Carnegie Institution for Science, as universidades de Harvard, Texas e Chicago, e a Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), que colocou US$ 45 milhões.

A quantia da Fapesp irá permitir que pesquisadores brasileiros tenham uma reserva de tempo para utilizar o telescópio, que será dividido entre todos os investidores e outros pesquisadores que se aplicarem.