Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +413,26 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    62.365,10
    +673,38 (+1,09%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,68 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6872
    -0,0339 (-0,50%)
     

Novo robô da Boston Dynamics foca no trabalho sem se preocupar com a aparência

Redação
·2 minuto de leitura

A Boston Dynamics lançou um robô que não é nada parecido com os protótipos que a empresa tem apresentado nos últimos anos. Ao contrário dos irmãos mais famosos, modelados a partir de seres humanos e animais, o Stretch foi criado com apenas um propósito: mover caixas em depósitos.

Segundo a própria empresa, ele não precisava ser bonito, somente funcional. Por isso a silhueta não vai muito além de um simples braço robótico capaz de movimentar até 800 caixas por hora, o que não é muito mais do que um ser humano conseguiria.

Stretch no trabalho movimentando 800 caixas por hora (Imagem: Reprodução/Boston Dynamics)
Stretch no trabalho movimentando 800 caixas por hora (Imagem: Reprodução/Boston Dynamics)

Uma base quadrada e um conjunto de rodas sustentam o Stretch durante o processo de locomoção. Câmeras, sensores e uma matriz com ventosas capazes de agarrar caixas com até 23 kg completam o “corpo” do robô-operário. Esta máquina é uma versão melhorada do Handle, o robô apresentado pela Boston Dynamics em 2019 e que consegue levantar e transportar caixas com apenas 13 kg balançando o próprio corpo sobre um contrapeso.

Apesar de realizar um trabalho parecido com o de outros robôs da mesma linhagem, a Boston Dynamics aposta na mobilidade do Stretch. Geralmente, os robôs de automação são fixados no chão e toda a área ao redor deles tem que ser adaptada. Já o Stretch foi projetado para se movimentar livremente em depósitos e galpões.

Veja:

“Isso é o que é empolgante sobre este sistema: ele pode fornecer automação para ambientes que não têm infraestrutura de automação”, disse o vice-presidente de desenvolvimento de negócios da Boston Dynamics, Michael Perry.

Mesmo com uma aparência mais convencional, o Stretch incorpora algumas tecnologias do Atlas, o robô bípede da Boston Dynamics que é capaz de correr, pular e até dar cambalhotas. Todo o centro de equilíbrio do Stretch é baseado nesse sistema, que também conta com uma bateria de alta capacidade capaz de maner o robô por até oito horas longe da tomada.

Obstáculos

A base móvel do Stretch permite que ele seja utilizado para navegar em qualquer direção, subir rampas e vencer obstáculos. O problema está na dificuldade de implantação de robôs em ambientes com variações imensas de espaços e tamanhos.

Imagine um depósito que um dia está cheio de caixas, pessoas, caminhões e no outro está vazio, com salas interditadas ou em reforma. O fluxo de trabalho nesses locais pode mudar diariamente, conforme a demanda. A ideia da Boston Dynamics é resolver esse dilema, já que o Stretch pode ser operado por pessoas com pouca experiência, além de ter facilidade de locomoção e adaptação a lugares que foram projetados para seres humanos.

Stretch levanta caixas com até 23 kg (Imagem: Reprodução/Boston Dynamics)
Stretch levanta caixas com até 23 kg (Imagem: Reprodução/Boston Dynamics)

Nos testes em laboratório o Stretch se mostrou apto para o trabalho, mas no mundo real a Boston Dynamics ainda espera por parceiros que queiram “contratar” o futuro funcionário do mês.

E você? Gostaria de ter um robô como colega de trabalho? Comente.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: