Mercado abrirá em 6 h 8 min

Novo Renault Duster 2021 chega à Rússia mais robusto que o brasileiro

br.info@motor1.com (Dyogo Fagundes)
·2 minuto de leitura
Novo Renault Duster - Rússia
Novo Renault Duster - Rússia

Versão local adota tração 4x4, pneus de uso off-road e arcos de roda mais amplos

Depois de mais de 8 anos de mercado e aproximadamente 440 mil unidades vendidas, o Renault Duster finalmente muda de geração na Rússia. Considerado um dos carros-chefe da marca no país, o SUV acompanha a estratégia adotada no Brasil e chega às lojas com o tradicional logotipo do losango cromado estampado na grade - o mercado russo é um dos poucos na Europa onde o Duster não é vendido com o emblema da Dacia.

Na comparação com o brasileiro, o modelo russo se diferencia pelo apelo off-road mais apurado. O pacote inclui pneus específicos para uso fora-de-estrada, moldura plásticas nas caixas-de-roda e, o mais importante, tração 4x4 (item ainda não oferecido na versão vendida aqui). O sistema é considerado fundamental para a proposta do carro no mercado local, onde é preciso enfrentar más condições de rodagem em boa parte das estradas (principalmente no inverno).

Visualmente, como já dito, a receita é exatamente a mesma do Brasil: grade frontal com desenho exclusivo (além do próprio logotipo da Renault) e traseira caracterizada pelas lanternas quadradas dispostas em posição elevada. Diferenças são vistas apenas na pintura e desenho das rodas, além de detalhes dos para-choques na cor prata. As medidas são de 4.341 mm de comprimento, 1.804 mm de largura, 1.682 mm de altura e 2.676 mm de entre-eixos.

Leia também:

Mecanicamente, porém, a Renault russa mantém mistério. Nenhum detalhe a respeito do conjunto mecânico foi divulgado até agora. De todo modo, há grande expectativa em torno do motor 1.3 turbo, que poderá ser adotado com potência na casa dos 150 cv para substituir o antigo 2.0 aspirado. Informações específicas sobre o pacote de equipamentos também só serão divulgadas depois.

Duster turbo no Brasil

Por aqui, a oferta do aguardado motor 1.3 turbo é esperada para o ano que vem. O propulsor foi desenvolvido em parceria com a Mercedes-Benz e deve equipar as versões mais caras do SUV, sempre com câmbio automático CVT. Antes, porém, vai estrear nacionalmente no Captur reestilizado, o próximo lançamento da Renault para o Brasil.

Fotos: Divulgação