Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.095,53
    +537,86 (+0,50%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.056,27
    +137,99 (+0,27%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,50
    +0,14 (+0,19%)
     
  • OURO

    1.783,40
    -2,10 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    50.391,34
    -393,72 (-0,78%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.318,03
    +12,91 (+0,99%)
     
  • S&P500

    4.701,21
    +14,46 (+0,31%)
     
  • DOW JONES

    35.754,75
    +35,32 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.337,05
    -2,85 (-0,04%)
     
  • HANG SENG

    23.996,87
    0,00 (0,00%)
     
  • NIKKEI

    28.868,85
    +8,23 (+0,03%)
     
  • NASDAQ

    16.379,00
    -13,25 (-0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2773
    +0,0032 (+0,05%)
     

Novo recurso da Apple poderá evitar que curiosos espiem telas dos iPhones

·3 min de leitura

Nesta semana, a Apple registrou uma patente que faz referência a um novo recurso de privacidade. De acordo com a documentação, será possível ativar um modo em que as informações mostradas na tela só poderão ser vistas por meio de óculos especiais.

A tecnologia é denominada "Privacy Eyewear" (Óculos de Privacidade, em tradução livre). Ele serviria para evitar que pessoas em volta consigam ver o que está sendo mostrado no display, por meio de um filtro que só funcionaria com os óculos especiais disponibilizados pela marca.

Aparelho poderá identificar o uso dos óculos, e também fazer correções para problemas de visão (Imagem: USPTO)
Aparelho poderá identificar o uso dos óculos, e também fazer correções para problemas de visão (Imagem: USPTO)

A patente não dá muitos detalhes técnicos de como os componentes fazem com que a imagem só seja vista pelo usuário, mas a documentação explica que alguns passos seriam seguidos: primeiramente, o celular faria uma identificação facial por meio dos sensores do Face ID e detectaria a utilização dos óculos, para somente então "executar uma operação de borrão de privacidade para alterar a mostragem de informações gráficas".

Atualmente, o mercado oferece produtos que apresentam tecnologia parecida: algumas películas polarizadas podem oferecer restrições de visualização somente para quem usa óculos específicos, ou a limitação também pode ser por ângulo de visão — ou seja, quem não estiver exatamente à frente do notebook ou celular não consegue ver os conteúdos do display. Esses produtos ainda são voltados para usos bastante específicos, mas a implementação do recurso em iPhones pode popularizar essa maneira de aumentar os níveis de privacidade, especialmente em espaços públicos.

Outra tecnologia é descrita como um sistema que pode mostrar "conteúdos gráficos com correção de visão e conteúdos gráficos padrão em um dispositivo eletrônico". Portanto, isso significa que também poderão ser feitas configurações relacionadas a problemas como miopia, hipermetropia, presbiopia e astigmatismo, com ajustes de imagem que compensariam imprecisões no olhar.

Futuro óculos de realidade mista da Apple poderá ter integração com o recurso (Imagem: Gizmochina)
Futuro óculos de realidade mista da Apple poderá ter integração com o recurso (Imagem: Gizmochina)

É possível que a Apple promova uma integração desses recursos com o seu futuro óculos de realidade mista, que poderá ser apresentado no ano que vem, de acordo com rumores vistos anteriormente — como a segurança das informações é um dos pontos mais abordados pela companhia nos seus últimos eventos, a capacidade de visualizar os conteúdos da tela somente com o óculos pode se tornar um atrativo para os consumidores.

Face ID também poderá receber novas funções

Outro importante elemento de segurança em dispositivos da Apple é o Face ID, que poderá receber a capacidade de identificação de diferentes rostos, o que permitiria o desbloqueio rápido de perfis específicos para cada pessoa — hoje em dia é possível realizar tarefa semelhante com o Touch ID, que permite a troca de contas com apenas um toque no sensor de impressões digitais. De acordo com a patente, o Face ID também será capaz de reconhecer novos detalhes, como cortes de cabelo, barga e bigode, óculos e mais.

Mesmo que a patente tenha sido registrada, a utilização dos novos recursos não está confirmada, já que as tecnologias ainda precisam passar por vários testes práticos de viabilidade e precisão, para só depois ser disponibilizadas para os clientes. Portanto, não existe uma previsão de data para lançamento das novas funções.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos