Mercado fechará em 4 h 35 min
  • BOVESPA

    100.840,14
    +2.167,88 (+2,20%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.976,44
    +234,94 (+0,49%)
     
  • PETROLEO CRU

    109,33
    +1,71 (+1,59%)
     
  • OURO

    1.825,90
    -4,40 (-0,24%)
     
  • BTC-USD

    20.717,67
    -548,82 (-2,58%)
     
  • CMC Crypto 200

    451,12
    -10,68 (-2,31%)
     
  • S&P500

    3.924,83
    +13,09 (+0,33%)
     
  • DOW JONES

    31.593,95
    +93,27 (+0,30%)
     
  • FTSE

    7.257,40
    +48,59 (+0,67%)
     
  • HANG SENG

    22.229,52
    +510,46 (+2,35%)
     
  • NIKKEI

    26.871,27
    +379,30 (+1,43%)
     
  • NASDAQ

    12.101,25
    -39,25 (-0,32%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5257
    -0,0267 (-0,48%)
     

Novo reajuste da Petrobras terá impacto de 0,18 p.p. sobre IPCA, calcula FGV

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O novo reajuste dos combustíveis anunciado nesta sexta-feira pela Petrobras deve ter impacto acumulado de 0,18 ponto percentual na inflação de junho e julho, de acordo com o economista da Fundação Getulio Vargas (FGV) André Braz.

Segundo ele, o impacto da gasolina, item de maior peso no IPCA, será de 0,14 ponto percentual e do diesel, de 0,04 ponto. O diesel reverbera de forma mais indireta no índice oficial de inflação, através de custos indiretos e frete.

A Petrobras anunciou nesta sexta-feira reajustes de 5,18% para a gasolina e de 14,26% para o diesel, valendo a partir de sábado, mesmo sob forte protesto do presidente Jair Bolsonaro e da classe política em meio à pressão inflacionária em ano eleitoral.

Braz explicou que esses reajustes devem aparecer nos índices de junho e julho e podem elevar a previsão para o IPCA acumulado neste ano para 9,2%, taxa bem acima do teto da meta, que é de 3,50% com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual.

"(O aumento da) gasolina na bomba pode chegar a 2% e do diesel, a 5%. O impacto total será de 0,18 ponto percentual na inflação, mas isso vai ser distribuído entre junho e julho", disse Braz.

"Minha estimativa está em 9,2% para a inflação deste ano com impactos diretos e indiretos desse reajuste", completou. "Mas tem que ver como será o efeito do ICMS, que pode atenuar (o impacto do aumento dos combustíveis) e talvez trazer o IPCA para menos de 9%."

A Câmara dos Deputados concluiu na quarta-feira a votação do projeto que fixa um limite de aproximados 17% para a cobrança do ICMS sobre os setores de combustíveis, energia elétrica, gás natural, comunicações e transporte coletivo, que tinha voltado do Senado e seguirá para sanção presidencial.

O texto prevê que até 31 de dezembro deste ano haverá uma compensação paga pelo governo federal aos Estados e aos municípios pela perda de arrecadação do ICMS.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos