Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.221,19 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,64 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    47.552,60
    +1.738,85 (+3,80%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,64 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,96 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,26 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7577
    +0,0188 (+0,28%)
     

Novo presidente do Senado quer votar Orçamento de 2021 até março

RENATO MACHADO
·2 minuto de leitura

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O novo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), afirmou nesta terça-feira (2) que vai buscar instalar ainda nesta semana a Comissão Mista do Orçamento, esperando aprová-lo até o próximo mês. Em conversa com jornalistas, Pacheco afirmou que vai conversar com o novo presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), a respeito da instalação da comissão e seu formato --se será escolhido inicialmente apenas o presidente da comissão e o relator, entre outros aspectos. "Na verdade, nós vamos sentar eu e o deputado Arthur Lira para definirmos o formato disso. O fato é que será uma comissão de existência muito rápida. Nós vamos buscar aprovação [do Orçamento] já até o mês de março para instalar outras [comissões] na sequência", afirmou. No fim do ano passado, o Congresso aprovou a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias), que fixa as regras para a elaboração do Orçamento. A peça, no entanto, ainda não foi aprovada e pode afetar em breve alguns gastos essenciais do governo federal. A instalação da comissão foi paralisada após um embate para a indicação do relator, envolvendo o ex-presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ) e o atual, Arthur Lira (PP-AL). Pacheco, eleito para o comando da Casa nesta segunda (1º), também espera se reunir ainda nesta semana com o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), e com o ministro da Economia, Paulo Guedes, para elaborar uma pauta econômica para o Congresso. "Vamos buscar uma agenda imediata com o presidente da Câmara, Arthur Lira, com o presidente da República, vamos alinhar as estratégias comuns da Casas, do Senado, da Câmara e do próprio governo federal", afirmou. O novo presidente do Senado também disse que vai realizar uma sessão na quinta-feira (4) para a apreciação da Medida Provisória 998, que reorganiza o setor elétrico. A MP perde sua validade no dia 9 de fevereiro. A medida provisória remaneja recursos do setor elétrico com o objetivo de reduzir as tarifas de energia. O texto destina recursos para a CDE (Conta de Desenvolvimento Energético), um fundo que recebe recursos das tarifas. Dentre outros pontos, o texto prevê também a interrupção do aumento de subsídios a fontes renováveis e oferece condições para o reinício das obras da usina Angra 3. Como já havia afirmado anteriormente, Pacheco disse que vai discutir com o governo federal a possibilidade de reedição do auxílio emergencial ou a criação de um programa análogo. "Estava nos meus compromissos uma discussão com a equipe econômica e o governo federal para identificarmos a compatibilização da responsabilidade fiscal com a assistência social, que pode ser algum programa análogo, que pode ser o incremento do Bolsa Família. Vamos ouvir os especialistas nisso, com os fundamentos econômicos para encontrarmos um caminho", afirmou.