Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.764,26
    +3.046,32 (+2,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.853,37
    +392,82 (+0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,88
    -2,46 (-2,61%)
     
  • OURO

    1.818,90
    +11,70 (+0,65%)
     
  • BTC-USD

    24.490,04
    +279,38 (+1,15%)
     
  • CMC Crypto 200

    574,64
    +3,36 (+0,59%)
     
  • S&P500

    4.280,15
    +72,88 (+1,73%)
     
  • DOW JONES

    33.761,05
    +424,38 (+1,27%)
     
  • FTSE

    7.500,89
    +34,98 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    20.175,62
    +93,19 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    28.546,98
    +727,65 (+2,62%)
     
  • NASDAQ

    13.580,00
    +268,75 (+2,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2024
    -0,1213 (-2,28%)
     

Novo método consegue diagnosticar doenças a partir de uma única lágrima

Pesquisadores da Wenzhou Medical University, na China, desenvolveram um novo sistema para diagnosticar doenças a partir de uma única lágrima, buscando biomarcadores para algumas patologias no líquido. O sistema coleta e purifica pequenas partículas chamadas exossomas do líquido. Um estudo sobre o sistema foi reportado na revista científica ACS Nano nesta quarta-feira (20).

Os cientistas chamam o novo método de Incorporated Tear Exosomes Analysis via Rapid-Isolation System (iTEARS) — ou Análise Incorporada de Exossomas de Lágrimas via Sistema de Isolamento Rápido, em português. A análise de lágrimas não chega a ser uma completa novidade na comunidade científica, mas seu uso até agora era bem mais limitado.

Novo método poderá ser usado para detectar doenças como câncer e problemas neurodegenerativos no futuro (Imagem: Karolina Grabowska/Pexels)
Novo método poderá ser usado para detectar doenças como câncer e problemas neurodegenerativos no futuro (Imagem: Karolina Grabowska/Pexels)

Examinando o choro

Os exossomas são vesículas liberadas pelas células com 30 a 150 nanômetros de diâmetro, bem menores do que a maioria das bactérias. São bolhas minúsculas usadas para transportar ácidos nucleicos, proteínas, lipídios e metabólitos, pequenos carteiros biológicos. Seu conteúdo pode dizer muito sobre a saúde de uma pessoa: a presença de uma proteína específica, por exemplo, pode indicar que o indivíduo tem uma doença em particular.

Pesquisas anteriores já haviam conseguido isolar e analisar exossomas da urina e do plasma sanguíneo de pacientes, mas o foco agora estava nas lágrimas. Com o novo método, foi possível distinguir entre pessoas saudáveis e outras com vários tipos de síndrome do olho seco com base em 400 tipos diferentes de proteína presentes nos exossomas lacrimais. E o melhor: isso foi feito em apenas 5 minutos.

Outra doença distinguível pelo sistema iTEARS foi a retinopatia diabética — uma complicação da doença que afeta a parte anterior dos olhos —, com base na análise de material genético (microRNAs) dos exossomas. Os cientistas acreditam que o método tem o potencial para diagnosticar condições que não afetam apenas os olhos, como doenças neurodegenerativas e câncer.

Estudos anteriores, por exemplo, já notaram biomarcadores lacrimais para o câncer de mama. Analisar os exossomas pode ser um método mais sensível e preciso, além de prático, para detectar doenças como essa. No futuro, é possível que uma visita rápida ao médico e apenas uma lágrima já informe que estamos nos estágios iniciais de uma doença em questão de minutos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos