Mercado abrirá em 9 h 23 min
  • BOVESPA

    112.486,01
    +1.576,40 (+1,42%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.684,86
    +1.510,80 (+3,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,51
    -0,04 (-0,05%)
     
  • OURO

    1.787,70
    +27,80 (+1,58%)
     
  • BTC-USD

    17.110,93
    +106,00 (+0,62%)
     
  • CMC Crypto 200

    405,56
    +4,86 (+1,21%)
     
  • S&P500

    4.080,11
    +122,48 (+3,09%)
     
  • DOW JONES

    34.589,77
    +737,24 (+2,18%)
     
  • FTSE

    7.573,05
    +61,05 (+0,81%)
     
  • HANG SENG

    18.888,26
    +291,03 (+1,56%)
     
  • NIKKEI

    28.253,61
    +284,62 (+1,02%)
     
  • NASDAQ

    12.041,50
    -0,75 (-0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3965
    0,0000 (0,00%)
     

Novo golpe do PIX já roubou R$ 10 milhões; veja como funciona

Golpe se aproveitam da rapidez do Pix para dificultar o rastreio do dinheiro
Golpe se aproveitam da rapidez do Pix para dificultar o rastreio do dinheiro
  • Criminosos utilizaram dados de um vazamento que ocorreu no ano passado;

  • Golpe se aproveita da rapidez do Pix para dificultar o rastreio do dinheiro;

  • Quadrilha entra em contato com a vítima se passando pelo banco e envia um link falso.

Um novo golpe que utiliza o Pix, sistema de pagamentos instantâneo do Banco Central (BC), está sendo realizado no Brasil e já causou um prejuízo de R$ 10 milhões. Em sua maioria, as vítimas têm sido prefeituras de cidades do interior, mas o golpe pode ser aplicado em qualquer um.

Segundo uma reportagem do Fantástico, os bandidos se aproveitaram de um grande vazamento de dados que ocorreu no ano passado. Com essas informações, o grupo entra em contato com as vítimas fingindo ser funcionários do banco e informando que era preciso atualizar o cadastro. Após isso, a quadrilha envia um site falso, similar ao do banco, para que as vítimas realizem a "atualização".

Aqui já é importante prestar atenção, uma vez que as instituições financeiras não realizam contatos desse tipo e nem enviam links de acesso para os clientes. Ou seja, é importante suspeitar sempre que esse tipo de pedido acontecer e, se possível, ligar para o banco de outra linha telefônica, uma vez que os criminosos podem continuar na linha se ela for fixa.

Com os dados inseridos no site falso, uma manobra conhecida como phishing, os bandidos conseguem acessar a conta das vítimas, conseguindo cadastrar novas chaves Pix e realizando transferências bancárias de forma instantânea.

Conforme afirmou o Fantástico, assim que os bandidos acessavam a conta das prefeituras o dinheiro era transferido para as contas das quadrilha, e depois enviado para centenas de contas diferentes, de modo a dificultar o rastreamento dos valores roubados.

"Imediatamente após o golpe, esse dinheiro é diluído em transferências de R$ 100 a 300 mil, pulverizado em centenas de contas. Eles utilizaram moedas digitais e também utilizaram algo diferente, que é o uso de maquininhas, que são as máquinas de cartão de crédito", afirmou o delegado Everson Contelli ao Fantástico.

Embora a maior parte dos criminosos que aplicou esse golpe nas prefeituras estejam presos (três estão foragidos), o esquema pode ser replicado por qualquer criminoso e qualquer um pode se tornar vítima, portanto todo cuidado é essencial.