Mercado abrirá em 8 h 43 min
  • BOVESPA

    112.611,65
    +1.322,47 (+1,19%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.466,02
    -571,03 (-1,12%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,21
    +0,60 (+0,69%)
     
  • OURO

    1.797,50
    +4,40 (+0,25%)
     
  • BTC-USD

    37.257,65
    +1.103,23 (+3,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    843,68
    +24,17 (+2,95%)
     
  • S&P500

    4.326,51
    -23,42 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.160,78
    -7,31 (-0,02%)
     
  • FTSE

    7.554,31
    +84,53 (+1,13%)
     
  • HANG SENG

    23.662,05
    -144,95 (-0,61%)
     
  • NIKKEI

    26.720,06
    +549,76 (+2,10%)
     
  • NASDAQ

    14.159,00
    +172,25 (+1,23%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0304
    +0,0064 (+0,11%)
     

Novo empréstimo a distribuidoras vai garantir liquidez do setor elétrico, diz Aneel

·2 min de leitura
Linhas de transmissão de energia em Santo Antonio do Jardim

SÃO PAULO (Reuters) - O novo financiamento que está sendo estruturado para atender as distribuidoras de energia vai garantir a liquidez do setor elétrico, que vem sofrendo com a disparada dos custos de geração, disse o diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), André Pepitone, nesta quarta-feira.

Perto de ser formalizada pelo governo, a operação financeira deve seguir os moldes do financiamento contratado pelo setor elétrico no ano passado para fazer frente aos impactos da pandemia.

Dessa vez, o objetivo do empréstimo é reduzir o déficit da conta bandeiras e bancar outras medidas emergenciais tomadas durante a crise hídrica, evitando um forte reajuste das tarifas em 2022.

"A solução para garantir a liquidez do setor é esse empréstimo. Não é pedalada, estamos com alta concentração de custo", afirmou Pepitone, durante audiência em comissão do Senado para averiguar causas e efeitos da crise hidroenergética.

Ele se referia ao editorial do jornal O Estado de S.Paulo publicado nesta quarta-feira. Ele não comentou, porém, sobre o cronograma para a operação ou o tamanho do empréstimo.

O financiamento poderia atingir até 15 bilhões de reais, disseram à Reuters, em outubro, pessoas com conhecimento do acordo.

O diretor-geral da Aneel afirmou ainda que o aumento médio das tarifas de energia em 2022 será “muito inferior” à projeção de 21% que consta em documento oficial da Aneel.

Segundo Pepitone, o número não considera ações de gestão tarifária que já estão na agenda da Aneel e que devem mitigar o reajuste médio.

Na lista de medidas para o próximo ano estão a antecipação de um aporte de 5 bilhões de reais em recursos da capitalização da Eletrobras e a redução do serviço da dívida de Itaipu.

Ainda durante a audiência, Pepitone afirmou que em nenhum momento a agência sofreu interferências do Ministério da Economia, Ministério de Minas e Energia ou do Banco Central.

"Somos um órgão de Estado, independente e autônomo. Isso (potenciais interferências) é uma narrativa que não é condizente com a realidade", disse.

(Por Letícia Fucuchima)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos