Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    49.366,35
    +2.273,09 (+4,83%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Novo dispositivo detecta e reverte overdose causada por opioides

·4 min de leitura

Nos Estados Unidos, a crise de opioides é um grave problema de saúde pública. Na busca por alternativas que evitem overdoses causadas pelo abuso destes medicamentos, pesquisadores da Universidade de Washington trabalham em uma possível solução: um dispositivo que pode identificar o problema e liberar, de forma automatizada, um medicamento capaz de reverter o quadro fatal.

Por enquanto, os cientistas trabalham em um protótipo do dispositivo que pode salvar pacientes em casos de overdoses por opioides. O dispositivo é implantado na região do estômago — igual a uma bomba de insulina — e, através de alguns sensores, pode detectar quando uma pessoa para de respirar, o que é considerado um dos primeiros sinais da condição.

Dispositivo pode impedir complicações de overdose por opioides (Imagem: Reprodução/Chan et al., 2021/Scientific Reports)
Dispositivo pode impedir complicações de overdose por opioides (Imagem: Reprodução/Chan et al., 2021/Scientific Reports)

Nesse momento, o aparelho deve injetar um medicamento na corrente sanguínea do paciente, o naloxona. Após o procedimento emergencial, é esperado que a pessoa consiga restaurar a respiração. Na revista Scientific Reports, os pesquisadores publicaram os detalhes da prova de conceito do potencial dispositivo médico.

O problema dos opioides nos EUA

Vale explicar que opioide é um termo que abrange um grupo de medicamentos prescritos para o tratamento e alívio da dor. De forma geral, eles são considerados analgésicos potentes, como a morfina. No entanto, o uso descontrolado e sem receita médica dessas substâncias pode colocar a vida de centenas de milhares de pessoas em risco.

Nos EUA, o número de overdoses fatais aumenta todos os anos. Em 2019, foram mais de 70 mil mortes relacionadas a essa causa. Entre maio de 2020 e maio de 2021, mais 81 mil casos foram relatados, segundo informam os cientistas responsáveis pelo desenvolvimento do novo dispositivo.

Por outro lado, "overdoses de opioides podem ser revertidas rapidamente com naloxona, um medicamento amplamente disponível para serviços médicos de emergência (EMS)", comentam os autores do estudo. Só que "até 51,8% das overdoses fatais ocorrem quando a pessoa está sozinha e, em 27,4% dos casos, as pessoas presentes não reconhecem os sintomas de uma overdose e não são capazes de reagir em tempo hábil", alertam.

Dessa forma, alternativas que ajudem a identificar o problema e forneçam soluções ativas para a reversão do quadro são extremamente necessárias, como propõem os pesquisadores.

Injetor subcutâneo contra overdose por opioides

No desenvolvimento do dispositivo, os pesquisadores da Universidade de Washington trabalham com a colaboração da empresa West Pharmaceutical Services. Inclusive, foi a farmacêutica a responsável por aperfeiçoar o injetor subcutâneo que administra medicamento na corrente sanguínea das possíveis vítimas de uma overdose.

O dispositivo também conta com um algoritmo que pode detectar algum padrão respiratório que represente risco de vida para o paciente. No caso, ele está treinado para identificar paradas respiratórias. Para isso, o sistema possui um par de acelerômetros que medem a respiração e um processador integrado que detecta as oscilações.

Além disso, o protótipo pode transmitir dados sobre as taxas de respiração e o ritmo respiratório do paciente para um smartphone próximo via Bluetooth.

Estudos sobre o funcionamento do dispositivo

Pesquisadores buscam alternativas de tratamento para pacientes que sofrem com dependência de opioides (Imagem: Reprodução/Twenty20photos/Envato)
Pesquisadores buscam alternativas de tratamento para pacientes que sofrem com dependência de opioides (Imagem: Reprodução/Twenty20photos/Envato)

Para testar o dispositivo, os pesquisadores já realizaram dois estudos, sendo que o primeiro ajudou a definir quais alterações na respiração podem apontar para um possível caso de overdose. Durante o experimento, foi possível medir os padrões de respiração para desenvolver o algoritmo, mas não envolveu nenhuma aplicação de naloxona. Os testes foram feitos na cidade de Vancouver, no Canadá, com pessoas que relatam o uso abusivo destes medicamentos.

No segundo estudo, foram recrutados apenas voluntários saudáveis e ​​que não relataram o uso excessivo de opioides. "Por questões de segurança, apenas participantes saudáveis ​​foram recrutados e testados para overdoses simuladas em um ambiente de laboratório sob a supervisão de um anestesiologista", contam os autores da pesquisa.

Em laboratório, 20 participantes simularam eventos de overdose. Inicialmente, os indivíduos eram orientados a respirar normalmente e, em seguida, prendiam a respiração por 15 segundos. Quando o dispositivo detectou que o sujeito não se moveu por pelo menos 15 segundos, ele foi ativado e injetou naloxona no participante.

Após a ativação do dispositivo, coletas de sangue retiradas dos participantes do estudo confirmaram que o sistema poderia entregar o remédio no sistema circulatório, demonstrando seu potencial para reverter quadros de overdoses.

Embora o dispositivo pareça promissor, muitas questões ainda precisam ser respondidas até que ele possa chegar ao mercado. Por exemplo, é necessário entender para quais perfis de pacientes a tecnologia pode ser útil, qual o tempo máximo que algum indivíduo poderá permanecer com o equipamento ou ainda verificar se possíveis efeitos adversos podem ser desencadeados.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos