Mercado fechará em 3 h 49 min

Novo CEO da Saraiva assume cargo nesta segunda

Juliano Passaro
Novo CEO da Saraiva assume cargo nesta segunda

O novo CEO da Saraiva(SLED3;SLED4), Luis Mario Bilenky, que já trabalhou em empresas como o McDonald's, Grupo Fleury e a Blockbuster, irá assumir o cargo nesta segunda-feira (13).

“A escolha do executivo foi realizada pela nova composição do conselho de administração da empresa”, informou a Saraiva.

Os dois novos colaboradores da área são: Augusto Marques da Cruz Filho e Antonio Salvador, que trabalharam anteriormente no Grupo Pão de Açúcar. A livraria também comunicou que as mudanças em sua administração estão em linha com o plano de recuperação judicial da empresa.

Veja também: EDP Renováveis conclui acordo de venda de energia solar no Nordeste

“Com a reestruturação das lideranças – CEO e conselho de administração –, a Saraiva dá início a um novo momento em sua história, fortalecendo e aprimorando sua governança corporativa”, disse Jorge Saraiva Neto, Diretor-Presidente e de Relações com Investidores da empresa.

Saraiva Neto também disse que acredita que os membros eleitos e o novo CEO têm plena capacidade para promover a reestruturação das operações e a recuperação dos resultados econômicos necessários para a recuperação da empresa.

Homologação do plano de recuperação judicial da Saraiva

O plano de recuperação judicial da livraria foi homologado pela 2º Vara de Falências e Recuperações Judiciais do Foro Central da Comarca de São Paulo em setembro do ano passado.

De acordo com a Saraiva, o pedido foi aprovado no dia 4 de setembro. O valor total da dívida da empresa é de R$ 684 milhões. As ações da empresa, sob os tickets SLED3 e SLED4, estão listadas na Bolsa de Valores de São Paulo.

Prejuízo do mês de novembro

A Saraiva apresentou um prejuízo de R$ 13,2 milhões no mês de novembro de 2019, uma diminuição de 54,5% em comparação ao mesmo período de 2018. Houve, porém, queda de 21% das vendas líquidas, que foi compensada pela baixa de 32,7% dos custos de vendas e a redução de 34% das despesas com vendas e administrativas.

As vendas brutas da Saraiva alcançaram R$ 45 milhões, queda de 23,4%. O relatório justifica que o número pode ter sido impactado pelo fechamento de 32 unidades desde novembro de 2018.