Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.925,60
    -1.560,41 (-1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.457,55
    -227,31 (-0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,23
    +0,01 (+0,01%)
     
  • OURO

    1.816,20
    +1,00 (+0,06%)
     
  • BTC-USD

    16.973,90
    -179,05 (-1,04%)
     
  • CMC Crypto 200

    401,44
    -4,71 (-1,16%)
     
  • S&P500

    4.076,57
    -3,54 (-0,09%)
     
  • DOW JONES

    34.395,01
    -194,76 (-0,56%)
     
  • FTSE

    7.558,49
    -14,56 (-0,19%)
     
  • HANG SENG

    18.736,44
    +139,21 (+0,75%)
     
  • NIKKEI

    28.226,08
    0,00 (0,00%)
     
  • NASDAQ

    12.034,25
    -28,50 (-0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4654
    +0,0689 (+1,28%)
     

Novo CEO da FTX: “Nunca em minha carreira vi uma falha tão completa"

FTX: novo CEO diz que situação da empresa é
FTX: novo CEO diz que situação da empresa é "sem precedentes" (Omar Marques/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
  • John Ray assumiu o comando da empresa devido a sua experiência jurídica em reestruturações;

  • Ray trabalhou em casos de destaque, como a falência da Enron;

  • FTX era uma das maiores corretoras de criptomoedas do mercado.

Após o colapso da FTX, Sam Bankman-Fried saiu da posição de CEO e John Ray assumiu o comando da empresa. Em uma nova declaração oficial afirmou que a situação financeira da empresa é "sem precedentes".

O documento, conhecido como primeira petição, é um relatório da queda da empresa e os planos para tentar resgatá-la da falência. A FTX era a terceira maior corretora de criptomoedas do mundo e sua queda abalou o mercado, levando outras empresas à falência e desestabilizando ainda mais o preço dos criptoativos.

John Ray é um veterano na área jurídica e de reestruturação corporativa, tendo trabalhado em casos de grande repercussão como o colapso da Enron. Para ele, no entanto, o caso da FTX é um dos piores já vistos. “Nunca em minha carreira vi uma falha tão completa dos controles corporativos e uma ausência tão completa de informações financeiras confiáveis ​​como ocorreu aqui”, disse no documento.

“Desde integridade de sistemas comprometidos e supervisão regulatória defeituosa no exterior até a concentração de controle nas mãos de um grupo muito pequeno de indivíduos inexperientes, não sofisticados e potencialmente comprometidos, essa situação é sem precedentes.”

A primeira petição lista uma série de falhas, incluindo alegações de que a empresa não rastreou adequadamente suas contas ou até mesmo os seus funcionários. Ray afirma ainda que será difícil esclarecer o que aconteceu na empresa porque ela não manteve registros adequados. Os documentos que existem mostram que as principais decisões foram discutidas de maneiras incomuns, incluindo o uso de emojis.