Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.767,45
    -497,51 (-0,38%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.129,88
    -185,81 (-0,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,08
    +0,02 (+0,03%)
     
  • OURO

    1.781,50
    +4,10 (+0,23%)
     
  • BTC-USD

    34.143,62
    +1.436,49 (+4,39%)
     
  • CMC Crypto 200

    820,13
    +25,81 (+3,25%)
     
  • S&P500

    4.246,44
    +21,65 (+0,51%)
     
  • DOW JONES

    33.945,58
    +68,61 (+0,20%)
     
  • FTSE

    7.090,01
    +27,72 (+0,39%)
     
  • HANG SENG

    28.538,49
    +228,73 (+0,81%)
     
  • NIKKEI

    28.922,54
    +38,41 (+0,13%)
     
  • NASDAQ

    14.292,50
    +34,25 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9105
    -0,0093 (-0,16%)
     

Novo cabo submarino do Google vai ligar Brasil e Argentina aos Estados Unidos

·2 minuto de leitura

O Google anunciou nesta quarta-feira (9) que planeja iniciar em 2022 a instalação de um novo cabo submarino que promete acelerar as conexões de Brasil e Argentina aos Estados Unidos. A nova linha, criada pela SubCom, vai ficar conhecida oficialmente como Firmina e deve entrar em operação em algum momento não especificado de 2023.

Esse é o 16º cabo submarino no qual a empresa investe, tendo como objetivo acompanhar o crescimento da internet e da quantidade de dados que trafegam por ela. “A infraestrutura da internet não está na nuvem, está debaixo do oceano”, explica Bikash Koley, vice-presidente de redes globais do Google.

Imagem: Divulgação/Google
Imagem: Divulgação/Google

Batizado em homenagem a Maria Firmina dos Reis (1825 – 1917), abolicionista e escritora brasileira responsável pelo romance histórico Úrsula, o cabo também deve ajudar a reduzir a latência entre as partes norte e sul do continente americano. Contando com 12 pares de fibra ótica em sua estrutura, ele tem origem na costa leste dos EUA e passará por estações em Praia Grande (Brasil) e Punta Del Este (Uruguai) até chegar a seu destino final na praia de Las Toninas, na Argentina.

“Procuramos homenagear um luminar que trabalhou para promover a compreensão humana e a justiça social”, explicou Koley no Blog do Google. “Mestiça e intelectual, Firmina é considerada a primeira romancista do Brasil. Com este cabo, temos o prazer de chamar a atenção para seu trabalho e espírito pioneiros”, completa o executivo.

Um fator que diferencia o Firmina é o fato de ele ser capaz de funcionar com uma única fonte de energia em uma de suas pontas — tradicionalmente, cabos submarinos usam fontes de energia de alta voltagem espalhadas a cada 100 quilômetros para amplificar seus sinais de luz. Para chegar a esse resultado, a empresa apostou em um design com uma tensão 20% mais alta do que os sistemas usados anteriormente.

O Google afirma que vai continuar investindo na infraestrutura da internet mundial, o que deve incluir a construção de mais cabos em um futuro próximo. Além disso, a empresa também continua apostando na construção de novos centros de dado e incorporando regiões ao sistema Google Cloud.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos