Mercado abrirá em 8 h 15 min
  • BOVESPA

    106.858,87
    +1.789,18 (+1,70%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.605,56
    +8,27 (+0,02%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,03
    +0,54 (+0,78%)
     
  • OURO

    1.779,70
    +0,20 (+0,01%)
     
  • BTC-USD

    50.922,13
    +1.865,87 (+3,80%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.314,86
    +54,70 (+4,34%)
     
  • S&P500

    4.591,67
    +53,24 (+1,17%)
     
  • DOW JONES

    35.227,03
    +646,95 (+1,87%)
     
  • FTSE

    7.232,28
    +109,96 (+1,54%)
     
  • HANG SENG

    23.659,95
    +310,57 (+1,33%)
     
  • NIKKEI

    28.282,01
    +354,64 (+1,27%)
     
  • NASDAQ

    15.855,25
    +12,50 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4274
    +0,0038 (+0,06%)
     

Novo buscador You.com quer destronar Google com visual diferentão e privacidade

·4 min de leitura

“Dar um Google” hoje é um sinônimo para “fazer uma pesquisa na web” dado o imenso domínio da empresa no mercado de buscadores. Agora, porém, há um novo competidor de olho nesse mercado que não recebe grandes novidades há algum tempo: o nome do concorrente é You.com. A plataforma quer desafiar a soberania do buscador mais famoso do mundo com um novo modelo de ranqueamento e sem invadir o espaço dos utilizadores.

Criado por ex-funcionários da Salesforce, o You.com explora ideias que o Google já utiliza há algum tempo, como a exibição de resultados em cartões, mas com uma diferença: ele só exibe resultados dessa forma. Uma pesquisa no site não retorna uma lista contínua de links sem imagens, mas blocos destacando artigos e páginas relacionadas.

Exibição de resultados em cartões e integração com redes sociais favorece a descoberta de novos conteúdos (Captura: Igor Almenara/Canaltech)
Exibição de resultados em cartões e integração com redes sociais favorece a descoberta de novos conteúdos (Captura: Igor Almenara/Canaltech)

Agora, o You.com está em período experimental, então ainda não está em seu estado mais polido para pesquisas complexas (e os resultados tendem até a demorar para carregar). Ainda assim, ele já apresenta sua proposta e as cartas que utilizará para tentar rever as convenções bem estabelecidas pelos buscadores tradicionais.

O motor de busca para boa parte dos resultados é o mesmo do Bing, da Microsoft, mas eles não são exatamente iguais. Os resultados de pesquisa do site são puxados de publicações de redes sociais (incluindo Twitter, TikTok, Reddit e LinkedIn), bem como vídeos do YouTube.

Além disso, os usuários podem fornecer feedback sobre o conteúdo encontrado, assim a sequência de links não é determinada somente por algoritmo. Aqueles que fazem buscas pelo You.com podem classificar positivamente ou negativamente as categorias apresentadas e, daí, ajudar o buscador a refinar os resultados nas próximas buscas.

Por ainda estar em estágios experimentais, o You.com carece de recursos importantes para uma pesquisa online. Por exemplo: o site ainda não consegue entregar respostas rápidas com base em sites bem estabelecidos, como Wikipédia, assim como o Google faz.

Foco na privacidade

O novo buscador tem foco na privacidade e promete não vender dados de seus usuários — no modo básico, o site anonimiza os dados antes de processá-los a fim de garantir a privacidade. Além disso, ele não trabalha com anúncios e conta com um modo privado que garante não reter qualquer tipo de informação de quem realiza uma pesquisa.

Atualmente, o You.com já encoraja usuários a adotarem-no como “mecanismo de busca padrão” no navegador. O acesso tanto pelo PC quanto pelo celular é bem intuitivo, então pode ser uma boa alternativa se a apresentação dos resultados de pesquisa for mais interessante para você.

Diferença pode fazer sucesso

Uma pesquisa rápida pelo You.com já mostra que a exibição de resultados de pesquisa por cartões pode ser bem interessante, principalmente em telas maiores — tablets, celulares dobráveis e computadores —, mas em celulares tradicionais não dá para fugir do tradicional ranqueamento de resultados.

O Reddit pode até ser uma rede social importante, mas é isso que o usuário procura quando insere os termos "Canaltech" na barra de pesquisa? (Captura: Igor Almenara/Canaltech)
O Reddit pode até ser uma rede social importante, mas é isso que o usuário procura quando insere os termos "Canaltech" na barra de pesquisa? (Captura: Igor Almenara/Canaltech)

As pesquisas ocupam muito espaço na tela e, à primeira vista, é até bem confuso encontrar o assunto pesquisado. Requer um pouco de “treinamento” e costume para entender a interface e como achar aquilo que se procura, sem se desorientar pelas dezenas de opções.

Os resultados do You.com se mostraram bem úteis em testes realizados pela redação do CT, favorecendo a atuação em múltiplas mídias. Ao procurar por “Canaltech”, são exibidos os links para site , redes sociais, destaques do YouTube e até publicações do TikTok, num estilo que funciona bem para fazer novas descobertas pela web.

Contudo, as desvantagens da “imaturidade” do buscador aparecem em buscas mais profundas. Exemplo disso é buscar por temas específicos do Canaltech, como “Canaltech Windows 11”: os primeiros resultados até fazem sentido, mas nem é preciso rolar a página para encontrar artigos que não têm a ver com o site, incluindo publicações e interações em redes sociais também bem desconectadas da pesquisa.

O Canaltech tem, no mínimo, dezenas de matérias publicadas sobre o Windows 11, então a ausência nos resultados não é por falta de conteúdo (Captura: Igor Almenara/Canaltech)
O Canaltech tem, no mínimo, dezenas de matérias publicadas sobre o Windows 11, então a ausência nos resultados não é por falta de conteúdo (Captura: Igor Almenara/Canaltech)

Com o tempo, isso pode melhorar, obviamente. Contudo, não deixa de ser um ponto negativo para quem procura um novo buscador para o momento. Talvez, o sistema de busca refinado por feedbacks possa ajudar, mas se não houver reforço pelo lado do algoritmo, é capaz de o You.com não conseguir ser mais do que um “buscador alternativo focado em privacidade” — que, para todos os efeitos, é pior que o tradicional DuckDuckGo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos