Mercado fechará em 1 h 22 min
  • BOVESPA

    100.697,70
    +2.025,45 (+2,05%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.312,39
    +570,89 (+1,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    109,52
    +1,90 (+1,77%)
     
  • OURO

    1.825,80
    -4,50 (-0,25%)
     
  • BTC-USD

    20.910,16
    -286,93 (-1,35%)
     
  • CMC Crypto 200

    456,18
    -5,62 (-1,22%)
     
  • S&P500

    3.907,46
    -4,28 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    31.486,24
    -14,44 (-0,05%)
     
  • FTSE

    7.258,32
    +49,51 (+0,69%)
     
  • HANG SENG

    22.229,52
    +510,46 (+2,35%)
     
  • NIKKEI

    26.871,27
    +379,30 (+1,43%)
     
  • NASDAQ

    12.049,25
    -91,25 (-0,75%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5336
    -0,0188 (-0,34%)
     

Nove países sul-americanos fazem aliança contra crime organizado no Brasil

Ministros e funcionários de nove países sul-americanos anunciaram nesta quinta-feira (23) uma aliança estratégica de cooperação na luta contra o crime organizado transnacional, em um encontro convocado pelo governo brasileiro em Brasília.

Autoridades de Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Paraguai, Peru, Suriname e Uruguai, além das locais, destacaram a prioridade no combate às atividades criminosas em múltiplos territórios e a necessidade de "implementar ações concertadas", segundo a declaração enviada à AFP pelo ministério da Justiça e Segurança brasileiro.

Argentina e Chile tiveram representação, mas não rubricaram o documento, que foi validado pelo secretário-geral da Interpol, Jurgen Stock, e pelo secretário-executivo da Ameripol, Marcio Nunes de Oliveira.

O Brasil promoveu a aproximação em "uma aliança contra a criminalidade, de caráter estratégico e soberano entre os nosso ministérios, uma aliança que expanda o tradicional sistema de policiamento ostensivo para acoes coordenadas de prevenção de ilícitos", descreveu o ministro de Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, na abertura do evento que terminará nesta sexta-feira.

Esta aliança se propõe a "troca de dados de inteligencia que permita um melhor diagnóstico e prevenção dos ilícitos transnacionais", explicou.

As autoridades sul-americanas que assinaram a declaração consideram, entre outras iniciativas, a proposta do Brasil, de reunir agentes de segurança dos diferentes países para trabalhar juntos no Centro de Cooperação Policial Internacional com sede no Rio de Janeiro.

Segundo Torres, o objetivo é favorecer a troca de informações de Inteligência, ações integradas e planejamento de investigações criminais conjuntas.

A colaboração permitirá desenvolver operações com resultados contundentes, afirmou o ministro.

Ele deu como exemplo a Operação Nova Aliança entre o Brasil e o Paraguai, que apreendeu do tráfico ilegal 5.400 toneladas de maconha, o equivalente a 162 milhões de dólares, de 7.000 toneladas apreendidas no mundo em 2021, segundo dados de seu ministério.

Os representantes dos nove países acertaram manter reuniões semestrais para avaliar o rumo da aliança.

mls/mel/gm/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos