Mercado fechado
  • BOVESPA

    126.285,59
    +1.673,56 (+1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.344,11
    +433,58 (+0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,39
    0,00 (0,00%)
     
  • OURO

    1.808,00
    +8,30 (+0,46%)
     
  • BTC-USD

    40.028,19
    +1.050,66 (+2,70%)
     
  • CMC Crypto 200

    938,33
    +8,40 (+0,90%)
     
  • S&P500

    4.400,64
    -0,82 (-0,02%)
     
  • DOW JONES

    34.930,93
    -127,59 (-0,36%)
     
  • FTSE

    7.016,63
    +20,55 (+0,29%)
     
  • HANG SENG

    25.473,88
    +387,45 (+1,54%)
     
  • NIKKEI

    27.581,66
    -388,56 (-1,39%)
     
  • NASDAQ

    14.978,50
    -33,00 (-0,22%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0660
    +0,0075 (+0,12%)
     

Nova variante da Covid-19 é identificada no Rio de Janeiro

·2 minuto de leitura
Nova variante da Covid-19 é identificada no Rio de Janeiro
Nova variante da Covid-19 é identificada no Rio de Janeiro

Nesta terça-feira (22), foi divulgada uma nova variante da Covid-19, originária da B.1.1.28. e detectada no município fluminense de Porto Real, divisa com o estado de São Paulo. Nomeada como P.5, a variante tem a mesma estrutura da cepa original, porém sofre mutações no spike, como é conhecida a coroa do vírus que se liga à célula. A informação é daa Secretaria de Estado de Saúde (SES).

“Dezenove casos da mesma variante já foram localizados no estado de São Paulo e, até o momento, não é possível afirmar que ela seja mais letal ou transmissível”, disse a secretaria, em nota.

A descoberta foi por conta do monitoramento genômico da Rede Corona-Ômica-RJ. O estudo faz parte de uma parceria entre Secretaria de Saúde, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj), o Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), o Laboratório de Virologia Molecular da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), o Laboratório Central Noel Nutels, da Fiocruz, a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro e Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Além disso, os dados do monitoramento mostram que a variante P.1 continua sendo a mais frequente no estado. Houve o registro de uma baixa frequência da VOC B.1.1.7 (Reino Unido) e o declínio da P.2, desde novembro de 2020.

Leia também:

A Secretaria de Saúde enfatizou que, independentemente da cepa do vírus ou variante, as medidas de prevenção e os métodos de diagnóstico e tratamento da Covid-19 seguem os mesmos. Ou seja, não há alteração nas medidas sanitárias adotadas como uso de máscaras, álcool em gel e lavagem das mãos.

“Além disso, é importante os municípios continuarem avançando no processo de vacinação contra a covid-19 e que a população retorne para receber as segunda dose. Apenas assim, é possível alcançar a completa eficácia da vacina. Estudos mostram que todas as vacinas disponíveis no Brasil são eficazes contra as variantes identificadas até o momento”, concluiu a nota.

Fonte: Agência Brasil

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos