Mercado abrirá em 3 h 27 min
  • BOVESPA

    95.368,76
    -4.236,78 (-4,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    37.393,71
    -607,60 (-1,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    37,16
    -0,23 (-0,62%)
     
  • OURO

    1.879,80
    +0,60 (+0,03%)
     
  • BTC-USD

    13.151,71
    -3,66 (-0,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    260,21
    -12,48 (-4,58%)
     
  • S&P500

    3.271,03
    -119,65 (-3,53%)
     
  • DOW JONES

    26.519,95
    -943,24 (-3,43%)
     
  • FTSE

    5.568,33
    -14,47 (-0,26%)
     
  • HANG SENG

    24.586,60
    -122,20 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    23.331,94
    -86,57 (-0,37%)
     
  • NASDAQ

    11.262,75
    +130,00 (+1,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7282
    -0,0062 (-0,09%)
     

Nova tecnologia vai coletar amostras da Lua e da marciana Fobos; saiba como

Danielle Cassita
·3 minutos de leitura

A JAXA, a agência espacial japonesa, tem planos para enviar a missão Martian Moons eXploration (MMX) para Fobos, lua de Marte. Assim, a NASA e a JAXA selecionaram uma nova tecnologia de baixo custo para a coleta de amostras. De acordo com informações da Sociedade Planetária, a tecnologia PlanetVac, desenvolvida pela Honeybee Robotics, deverá ser lançada para a Lua em 2023 e depois para Fobos em 2024.

O voo na Lua seria, na verdade, uma cortesia do programa da NASA que dá apoio para landers comerciais e cargas úteis. Enquanto isso, a viagem para Fobos acontecerá com a missão MMX, que deverá entrar na órbita do Planeta Vermelho em 2025. Assim, a PlanetVac é uma contribuição que a NASA está fornecendo para a missão MMX, e será um dos dois sistemas de amostras que irá coletar materiais em Fobos, trazendo-as para a Terra. "A PlanetVac demonstra que o financiamento com apoio público em momentos-chave pode ter papel crítico em mover as tecnologias para mais perto do uso em voos espaciais", disse Bruce Betts, cientista-chefe da Sociedade Planetária.

A PlanetVac com a missão MMX, em Fobos (Imagem: Reprodução/The Planetary Society)
A PlanetVac com a missão MMX, em Fobos (Imagem: Reprodução/The Planetary Society)

A ideia é que as amostras coletadas pela PlanetVac sejam analisadas com instrumentos científicos a bordo e também trazidas para análises em nosso planeta. Para isso, a tecnologia funciona com emissão de gás em uma superfície planetária, onde o solo e as rochas seriam misturados em uma câmara de coleta, e o gás é liberado com a abertura de uma válvula. Em sua forma mais simples, a PlanetVac se “prende” a uma das pernas do lander e está pronta para uso assim que o pouso acontecer. Kris Zacny, vice-presidente de sistemas de exploração da Honeybee Robotics, explica que esta tecnologia foi criada para simplificar a forma de coletar amostras em outros mundos. "Criamos o sistema para ser flexível em uma grande variedade de aplicações, e já estamos mostrando isso ao voá-lo em duas missões diferentes", finaliza.

Como haverão duas versões, a PlanetVac lunar será lançada em 2023 com um lander que ainda será selecionado no programa Commercial Lunar Payload Services (CLPS), da NASA. Ainda não foi decidida a localização exata do pouso do lander com a PlanetVac, mas isso vai ocorrer na região de Mare Crisium da Lua. Depois, a PlanetVac vai liberar gás na superfície e irá verificar o sucesso da coleta de amostras com uma pequena câmera e um sistema de medidas a laser. Como a PlanetVac está inclusa como uma demonstração de tecnologia a bordo da nave, as amostras não serão analisadas ou trazidas para a Terra.

Testes da PlanetVac em câmara a vácuo, que simula a atmosfera de Marte (Imagem: Reprodução/Honeybee Robotics)
Testes da PlanetVac em câmara a vácuo, que simula a atmosfera de Marte (Imagem: Reprodução/Honeybee Robotics)

Já na versão marciana, a nave MMX será lançada em 2024 e deverá trazer amostras da lua marciana para a Terra em 2029. A MMX tem um braço robótico que irá perfurar a superfície de Fobos e conta com a P Sampler, que é uma versão da PlanetVac com a capacidade extra de inserir as amostras em um tubo. Depois que a MMX deixar Fobos, o braço robótico da nave vai mover sua estrutura para um contêiner de retorno de amostras com o que tiver coletado. Conforme se aproxima da Terra, a MMX irá liberar o container com as amostras, que irão atravessar a atmosfera da Terra e irão pousar com um paraquedas para garantir a segurança do material coletado.

Os cientistas esperam descobrir, com as amostras coletadas pela MMX, se Fobos foi formada depois de um grande impacto ou se ela, na verdade, é um asteroide capturado pela gravidade de Marte. Agora, os próximos passos dependem da Honeybee: é esperado que a empresa entregue a PlanetVac lunar para a NASA no final de 2021 ou no início de 2022, enquanto a P Sampler deverá estar com a JAXA em 2022.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: